Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

One Smile a Day com.. a Matilde

A minha convidada de hoje é a Matilde, autora do blog Cantinho da Tily. A Matilde encontra-se neste momento em terras de Sua Majestade e eu considero o blog quase como um diário pessoal. É uma pessoa cativante, simpática, sempre com um sorriso pronto e uma palavra amiga. É mãe do pequeno Lu e adora morar em Londres. Tenho aprendido tanto com ela, com a forma como encara a vida, com as dificuldades ultrapassadas sem nunca baixar os braços, curiosidades sobre a cultura londrina, etc.. É curioso ver como somos parecidas em tantos aspectos. Convido-vos a passarem pelo cantinho dela, de certeza que vão gostar.

 

Ola a todos,

antes de mais quero agradecer à Ana por se ter lembrado de mim, é uma honra participar no cantinho dela do qual já não dispenso as visitas diárias :)

 

A história que vos vou contar é um dois em um e tem a ver com traumas de nadar…

 

Corria o ano de 2008, mais precisamente nas férias de Verão, e estávamos em Valhelhas, um pequeno paraíso escondido na Serra da Estrela (se não conhecerem, pesquisem, pois vale bem a pena), acreditem que foram das melhores férias de sempre :)

Estava eu muito sossegadinha a desfrutar das águas calmas do Rio Zêzere (acreditem, aquilo é mesmo uma piscina autentica) quando o meu querido Rui me chama para ir para o pé dele, e lá fui eu toda contente… comecei a ver tudo escuro, não conseguia mesmo ver onde tinha pé (o nível de profundidade dava pela barriga…) e tive um ataque de pânico!

Pois aqui a je começou a a espernear feita tolinha… tudo porque voltou atrás no tempo até ao ano de 1996 quando fui de férias com uma colega da escola e a sua família para o Algarve e essa dita colega armada em esperta me tentou ensinar a nadar na piscina, enfiando-me a cabeça dentro de água deixando-me lá ficar nos piores segundos da minha vida… se aquilo foi uma tentativa de aula de natação, a mim mais pareceu uma tentativa de homicídio, com colegas destas quem e quer saber de inimigos, hein? :P

 

Voltando a Valhelhas, tudo acabou bem após muitas gargalhadas, afinal de contas rir de nos próprios é meio caminho andado para sermos felizes, certo? ;) E eu acredito que vou vencer este trauma com umas boas aulas de natação, profissionais, digo eu ;)

 

A banda desenhada que encontrei é um despertar de consciência, é muito importante saber nadar, não só para a nossa própria segurança, mas também pela dos outros. Tenho a certeza que vais conseguir e que esses ataques de pânico não irão fazer mais sentido. Quando olhares para trás vais sorrir muito com estes medos.

 

Muito obrigada por esta bela partilha que encerra também uma lição de moral.

horo_07.jpg

 

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.