Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

One smile a day... com a Kalila

A minha convidada de hoje é uma "sapinha" muito amorosa, a Kalila. A Kalila é autora do blog Amor às Kuartas e, para não sentirmos a sua falta nos restantes dias da semana, temos o seu Baú Musical. O primeiro blog é para mim uma surpresa constante: todas as quartas-feiras temos a apresentação de uma pequena história que nos demonstra a importância do amor. Lembram-se das fábulas e contos infantis em que temos sempre uma lição de moral? Pois bem, este blog é o equivalente às fábulas infantis, mas virado para um público mais velhinho e que nos deixa sempre a meditar sobre o que lemos. Paralelamente, temos o Baú Musical, que se entrelaça tantas vezes com o tema do Amor, um Baú onde podemos encontrar autênticos tesouros.

Quanto à Kalila, é uma pessoa de quem gosto muito, que tem o dom da sabedoria nas palavras, ou seja, sabe sempre o que dizer em cada momento. É uma simpatia e tenho a certeza que a vão adorar conhecer.

 

Pois isto é uma honra, ter sido convidada para este espaço! Fiquei tão fora de mim que só me vinham à lembrança histórias disparatadas de piada duvidosa. Até que me lembrei do prédio “demente”, assim batizado por mim própria devido às inúmeras situações caricatas que lá vivi.

Era um prédio normal de 20 fogos, com gente de todas as idades, normal na sua maioria, verdadeiras pérolas, alguns deles.

Havia um senhor de idade que vivia sozinho e combatia a solidão tocando às portas dos vizinhos por tudo e por nada: porque vinha a chover, porque supostamente precisava de sal, fósforos ou de outra coisa qualquer, porque não via o/a vizinho/a há muito tempo e preocupava-se se estava tudo bem, porque as netas ou as filhas lhe traziam bolos e os distribuía pelos andares mais próximos, enfim, aquele vizinho era uma ternura, ele próprio, e não deixava de a procurar nos outros.

Outro havia que adorava anedotas e não deixava de as contar a toda a gente. Na escada, de varanda a varanda, à espera do elevador, junto do contentor do lixo, qualquer sítio era bom. A mais estranha de que me lembro dizia respeito a um comprimido: “O que é que ele faz quando não tira a dor?... … … Descomprime-se!” Pois… algumas não tinham mesmo graça nenhuma mas o vizinho era tão chatinho que toda a gente se ria, de preferência bem alto, que era como ele ficava mais feliz.

Um era cantor, ou gostava de ter sido, era frequente ouvi-lo cantar assim que se entrava no prédio, porque não o fazia em casa mas sim no acesso ao terraço, onde a acústica era mais do seu agrado, ecoando por toda a escada já que ele se debruçava no corrimão.

O mais engraçado tinha um ar aristocrata, pera e bigode e cara de poucos amigos. No fundo era um doce e muito simpático mas não parecia. Era apaixonado por carros antigos e dono de um sentido de humor refinado. Uma vez ouvi-o dizer no café: “Atenção que eu não sou velho, sou um clássico!”

Já entre os mais jovens a piada não era tanta mas ouvi uma vez, precisamente entre a minha vizinha do lado e uma amiga ou familiar que vinha a subir com ela, o seguinte diálogo:

Amiga/familiar:

-Vais mudar de casa outra vez?

Vizinha:

-Vou. Eu gosto de me mudar quando a casa começa a precisar de limpezas grandes…

Quando foi altura disso também eu me mudei mas juro que limpei a casa, eheheh! O extraordinário é que vários vizinhos se vieram despedir, com prendinhas, votos de tudo o que houvesse de melhor e muito carinho. Os amigos que me ajudaram com a mudança ainda perguntaram se a vizinhança estava feliz por eu ir embora ou se eram mesmo muito gentis.

 

A honra de te ter no meu espacinho é toda minha! Ainda para mais com um prédio, no mínimo, caricato! O que eu me fartei de rir ao imaginar a animação sempre presente.

Obrigada por esta bela partilha, e sim, o facto de todos se terem despedido, apenas vem confirmar a tua simpatia para quem te rodeia. O Armandinho distribui música, tu distribuis sorrisos!

 

tumblr_o8ujabTmJX1u1iysqo1_1280.png

 

Amanhã estarei em formação, por esse motivo o "One Smile a Day" foi antecipado para hoje. Desejo-vos a todos um ótimo fim de semana.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.