Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Meditação.. A quanto obrigas!

Hoje vou partilhar uma experiência convosco que não aconteceu comigo, mas com a minha irmã. Ora, toda a gente sabe que a meditação pode conter uma série de benefícios, entre eles:

  • Maior equilíbrio emocional;
  • Reforço sistema imunológico;
  • Redução pressão arterial;
  • Serenidade;
  • Aumento da concentração

A K, convencida por uma amiga que já tinha feito meditação, foi experimentar uma sessão e aqui está o testemunho dela:

 

"Eu, enquanto adepta de experiências novas e alternativas quanto baste (não sei se podemos efectivamente aliar o conceito de alternativo à meditação mas o meu lado cândido crê que sim), aceitei.

Fomos recebidas por um indivíduo de 30 e poucos anos, careca lustrosa e serenidade inquebrável que nos encaminhou para uma sala. Descalçámos-nos e colocámos os sapatos numa prateleira.

 

Vista panorâmica da sala: umas pessoas sentadas encostadas à parede da sala, outras de “pernas à chinês” sentadas sobre uma almofada redonda (perdoem a minha ignorância mas não sei se tem um nome específico. Quem for experiente nestas andanças talvez me possa corrigir) e por fim, e isto sim, já me causou alguma estranheza, algumas pessoas deitadas, cobertas por uma manta e de olhos abertos, fixos num ponto do tecto. Pronto, decidi-me pelas almofadas e sentei-me com todo o cuidado, procurando imitar com precisão a posição dos outros alunos.

Começou.

[Aos 10 minutos] Dor em crescendo na região das coxas (maldita posição de pernas à chinês). Ninguém manifesta sinais de desconforto, enfim, the show must go on.

 

[20 e poucos minutos de meditação] A somar ao debate interno sobre mudar ou não de posição (decisão constantemente adiada pelo silêncio profundo e intimidante da sala), as minhas alergias decidem marcar presença. Sem problema, tinha ido prevenida, era só tentar retirar o pacote de lenços do bolso sem fazer muito barulho e prosseguir com a meditação. Missão bem sucedida, embora sob alguns olhares atentos dos presentes.

 

[30/40 minutos, a verdade é que não tenho bem noção do tempo que passou] Ouve-se um roncar tímido, seguido de um outro um pouco mais para o descarado. Abri os olhos e olhei em volta, uma daquelas pessoas que estava deitada no início da aula tinha adormecido.

 

[Um pouco mais tarde…] O professor/instrutor aconselhou-nos a mudar de posição! Toda uma dança de felicidade dentro da minha cabeça e quase deixei escapar um ahhhh de alívio. Aqui entre nós, este momento também serviu para constatar que não era só uma pessoa que se tinha deixado passar para o outro lado.

 

Fim da aula.

 

Senti-me emocionalmente estranha. Isto da meditação não é para mim."

2013_062_meditacaoatres.jpg

Eu sinceramente acho que adormecia passados poucos minutos. E vocês, já experimentaram? Qual a vossa opinião? 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Chic'Ana 25.11.2015 11:25

    Exatamente, mas é preciso um grande controlo e domínio que não tens nos primeiros tempos. Eu sinceramente gostava de experimentar, mas tem de ser numa época em que não ande tão cansada, porque senão não aproveitava mesmo nada da experiência.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.