Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

As empresas e a amamentação

O amamentar ou não é sempre uma questão que gera muita polémica.

 

Eu optei por amamentar a pequenina pelos inúmeros benefícios que tal acarreta, tanto para a bebé como para a mãe. Não me arrependo da decisão, apesar de não ser uma tarefa fácil, no meu caso até dolorosa (algumas infeções, ductos entupidos que causam dores horríveis, etc., mas nunca sendo prejudicial para a bebé).

 

Pelo menos até aos 6 meses fazia questão de amamentar e felizmente tive leite para o fazer (há muita gente que quer e não consegue amamentar, por muito que digam que cada um tem leite mais que suficiente para a criança tal não é verdade, e o importante é o bebé não ter fome).

Com o regresso ao trabalho já se sabe que a produção do leite tem tendência a diminuir, mas até o ter e ser possível, vou continuar a amamentar.

 

A OMS apoia a amamentação, os médicos, os enfermeiros, as mães em geral.. E as empresas? A segurança social apresenta duas horas de licença até o bebé perfazer um ano, mas… e as condições para amamentar? Torna-se completamente impossível amamentar uma criança de 3 em 3 horas, afinal, temos de trabalhar e a bebé não se encontra ao virar da esquina para ser possível continuar com o esquema de amamentação. Pois bem, para o fazer tenho de trazer a bomba de extração de leite, tanto para manter a produção, como para retirar e guardar para lhe dar mais tarde.

 

Na empresa, não existe uma salinha recatada para a extração, resta-me tirar na casa de banho, cujas condições de higiene deixam sempre a desejar. Não existem tomadas, portanto a bomba tem de ser manual, fazendo com que a extração demore mais tempo. Após retirar o leite não existem frigoríficos para o guardar.

 

Concluindo, lá vou eu para a casa de banho, como se fosse acampar – saco térmico ou lancheira, cuvette de gelo, bomba, recipientes para o leite, tapete para me sentar, casaco porque faz um frio tremendo naquele espaço e dá imenso jeito estando a tirar leite, luz, sim, luz, porque a casa de banho tem luzes automáticas e de x em x tempo fico às escuras, enfim..

 

Tirar leite é uma aventura e quem disse que nunca se deve chorar sobre leite derramado, é porque definitivamente nunca amamentou…

 

(Nunca me aconteceu, mas mais dia, menos dia...)quadrinhos-maternidade_4_0.jpg

Nota: Retiro o leite durante a minha hora de almoço, portanto, nada de lesar a empresa.

 

Quanto ao vencedor do Passatempo Santo Black Poderoso, é a Sandra Sousa. Muitos parabéns, irei enviar e-mail para combinar o envio.

vencedor (2).png

 

144 comentários

Comentar post