Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

One Smile a Day com.. a Beatriz

Este One Smile a Day tem um gostinho especial, e porquê?! Porque a autora da peripécia de hoje não foi convidada. Eu explico: estava a participar no projeto "A uma Carta de Distância", que consiste precisamente em enviar uma carta física a uma pessoa que nos calhe em sorteio, e, no mês de Fevereiro fui contemplada com uma carta da Beatriz. Uma menina que eu não conhecia, mas que é a autora do blog Trovoada dos Sonhos. Em primeiro lugar, a carta comoveu-me, falou-me dos seus sonhos e inspirações, o curso que desejava e o que se encontra a frequentar. Sempre com um espírito muito leve, aberto e sincero foi discorrendo palavras em cerca de duas páginas. Adorei conhecê-la e tenho a certeza que também vão gostar bastante de ir ao seu espaço... Sem mais demoras, aqui segue uma peripécia relatada na carta..

 

Quando eu tinha uns 7/8 anos (ou até menos), numa tarde de verão, estava sozinha em casa da minha avó e deu-me uma enorme sede! Procurei alguma garrafa ou garrafão de água, até que encontrei uma garrafa de água em cima de um armário e quase por estrear.

Maravilha, era tudo o que eu mais queria naquele momento. Então o que é que eu fiz? Pus-me a beber a água!

 

Mal engoli o primeiro gole fiquei com a garganta a arder imenso, parecia que tinha uma fogueira dentro de mim. Tossi, fui para a rua, esperneei e lá passou. 

Ufa, apanhei o susto da minha vida!

 

Quando a minha avó chegou, fiquei a saber que aquilo não era simplesmente água, aquilo era aguardente!

Ainda hoje não consigo beber tal coisa, tal foi o trauma.

 

Eu confesso que não me posso rir muito da situação, pois a meio da noite já me aconteceu fazer confusão idêntica, mas já não tinha nem 7, nem 8 anos, era bem mais velhinha. São as partidas que os sonos nos pregam.

Beatriz, mais uma vez, gostei imenso de te conhecer! 

mentirinhas_916 (1).jpg

(Nota: A banda desenhada nada tem a ver com a situação acima descrita, mas adorei a resposta do garoto e tinha mesmo de a colocar). 

209 comentários

Comentar post