Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

One Smile a Day com.. a Ana

A minha convidada desta semana é a Ana, autora do blog Receitas fáceis, rápidas e saborosas!. A Ana tem um dos blogs de culinária mais visitados atualmente, apostando em receitas muito acessíveis e sempre com uma imagem capaz de nos deixar de água na boca. Já encontrei por lá muitas iguarias e sempre deliciosas. A Ana é mãe, esposa e adora cozinhar. Tem uma personalidade que cativa, sempre com um sorriso fácil e disposta a ajudar. Querem sugestões de refeições? Doces ou salgados? Pois têm aqui o lugar certo. E como a Ana é muito mais do que a culinária, convido-vos a conhecerem-na um pouquinho melhor.
Um dia a minha mãe foi para o hospital para fazer uma operação de alto risco e uns dias antes desabafou comigo que gostava muito de ter uma Santa Rita com ela, para a proteger e eu pensei em oferecer-lhe um daqueles cartõezinhos que tem o santo e a oração pertencente. Corri tudo mas nada de encontrar o que procurava e já andava desanimada quando no café me disseram "olha isso que tu procuras, só encontras na funerária... " What? Será que ouvi bem?
"Não aí é que eu não entro.." Mas a vontade de fazer a vontade à mãe foi maior e lá fui num sábado perto da uma hora da tarde à funerária...
 
Quando lá cheguei estava fechada... Já estava para me vir embora quando vejo um senhor todo vestido de negro e presumindo que não era do MIB (man in black, o filme) pensei, se calhar é da funerária.
 
- Boa tarde, desculpe o senhor é da funerária?
- Sim porque?
- Sabe é que eu queria... e expliquei o que queria.
O Sr. num passo pesado e vagaroso la abriu a funerária pousou as coisas dele no balcão e foi procurar o que eu lhe tinha pedido.
 
Minutos depois da compra feita despeço-me e agradeço e rumo a casa (a pé... deu -me para ali nesse dia).
 
Quando chego a casa meto a chave à porta e a chave não roda na fechadura. Tento mais uma vez e outra até que olho para a chave e nesse momento senti um raio a subir por mim acima! Aquelas não eram as minhas chaves! Eu tinha trazido as chaves da funerária!!
 
Nervosa e ansiosa e a passo de corrida voo em direcção a funerária, e, quando lá chego, vejo a funerária revirada ao contrário com um homem vestido de preto e chateado a revirar tudo a procura das chaves para fechar a loja.
 
Desculpo-me ao homem, dou-lhe as chaves, as minhas estavam em cima do balcão onde as tinha deixado, saio a pedir desculpa novamente perante o ar de chateado do homem e juro nunca mais voltar a não ser que seja obrigada, não sei se me entendem.
 
O que eu me fartei de rir Ana, foi sem dúvida por uma boa ação que foste à funerária.. Mas ficar com as chaves da mesma é realmente assustador.
 
Muito obrigada por esta história tão divertida e muitos parabéns por todo o teu percurso! Que continues assim, com sucesso por muitos e muitos anos!
 

Funerária.jpg

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Chic'Ana 20.01.2017 08:48

    Uma situação arrepiante!
    beijinhos e bom fim de semana.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

    Este blog tem comentários moderados.