Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

O perigo dos elevadores

Já vos contei 3 episódios em que fiquei fechada no elevador:

a) O poupar tem limites - um episódio que é recordado com muitos sorrisos devido à minha veia de tio patinhas;

b) Prédio simpático ou manicómio - comportamento insólito dos vizinhos que vai desde a preocupação extrema à pergunta se me querem mesmo resgatar do elevador;

c) Reclamar ou não reclamar? - no elevador do metro, provocado pela equipa de manutenção do mesmo.

 

Em qualquer das situações consegui manter a calma, o sangue frio e sinceramente não me senti minimamente incomodada.. Pois bem, no meu período de férias, consegui ficar trancada mais duas vezes no elevador, e aqui sim, em ambas as situações apercebi-me do verdadeiro perigo que é ficar trancada dentro de um espaço tão diminuto.

 

Episódio nº1: A primeira ocorrência deu-se no prédio dos meus pais, o elevador parece uma autêntica caixa forte - não tem vidro, não tem respiradouros e o espaço é demasiado pequeno. Entrei no piso -1, carreguei no botão para subir até ao andar pretendido e passado 1 segundo de ter arrancado, o elevador parou.

Dedo na campainha e nada, o prédio estava completamente deserto. Aguardei cerca de 10 minutos, sempre a tocar insistentemente e nada. Solução: Ligar para o 112.  O elevador não tinha rede, liguei os dados móveis, o wifi, nada, não havia sinal algum... empoleirei-me ao máximo e lá consegui estabelecer contacto com o 112, consegui relatar a situação, o que tinha acontecido, dar a morada e ficou a promessa de que iriam imediatamente transferir a chamada para os bombeiros.. no período de espera, a chamada caiu.. Tentei novamente o 112, sem qualquer sucesso.

Dedo na campainha, e nesta altura já eu transpirava por todo o lado, foi num dia muito quente de Agosto e estava a ficar mesmo sem ar. Finalmente oiço um barulho, alguém a comunicar que não era do prédio mas que se tinha apercebido da situação.

Lá passei a mensagem para o senhor telefonar diretamente para a equipa de manutenção do elevador, o que ele fez de imediato e me disse que já vinha um técnico a caminho. Pedi-lhe para verificar junto da administração a existência da chave dos elevadores, mas nenhum estava em casa. Depois de alguns telefonemas entre os vizinhos que entretanto estavam a chegar ao prédio, conseguiu-se finalmente desencantar a chave..

 

Abriram a porta no piso 0 e só conseguiam ver a parte de cima do elevador. Queriam que eu por artes mágicas saísse do mesmo pelo tecto, completamente impossível. Depois de muito barafustar, lá conseguiram abrir ambas as portas do -1 (sim, porque este elevador, tem duas portas, uma de dentro e outra de fora.. a de dentro estava empanada, teve de ser à força bruta).

 

Passados 15min apareceu o técnico da manutenção (até nem demorou muito tempo), do 112 não tive qualquer notícia.

 

Conclusão: só voltei a andar de elevador, sabendo que tinha os meus pais em casa e que facilmente davam pela minha falta.

 

Episódio nº2: No meu prédio. Chego ao piso da garagem, pressiono o botão de elevador e o andar pretendido. A uns centímetros de chegar ao meu andar, o elevador pára. Começa a descer devagarinho até ao piso imediatamente abaixo. Tento sair, a porta não destranca.

Nisto, arranca velozmente até ao último piso da garagem. Tento sair mais uma vez, nada, a porta continua trancada. Arranca novamente em velocidade normal até ao último piso do prédio e pára. De repente oiço o clique milagroso e consigo sair do elevador.

O mais insólito da situação? A chave dos elevadores está trancada na sala das máquinas, que só é acessível através de uma chave presente na sala do condomínio, da qual só o administrador tem a chave, que por acaso era quem estava fechada no elevador! 

 

Em ambas as situações eu só pensava "Estou no 9º mês de gravidez, não me digam que ainda vou ter a criança num elevador!".. 

 

Conclusões a tirar e que todos deveriam rever nos vossos prédios:

  • Têm rede de telemóvel em todos os pisos do prédio no interior do elevador? Se não têm deveriam instalar um sistema de comunicações no mesmo;
  • Mesmo que não tenham telemóvel na altura, a campainha é audível em qualquer piso?
  • A chave de abertura de portas está facilmente acessível a qualquer condómino?

Não é para vos assustar, é apenas um alerta!

 

Até ao parto NÃO ando mais de elevador, nem que demore 30 minutos a subir e a descer escadas.

aureolos_123 (1) (1).jpg

156 comentários

Comentar post

Pág. 1/6