Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

O mistério do Hospital - Primeira Parte

Chovia.. Era uma noite de Maio, fria, não se via praticamente ninguém na rua..

Olhámos para o relógio do carro, marcava as 23h20, mas o tempo parecia que tinha parado. Íamos eu e o meu pai para o hospital, infelizmente eu tinha tido um pequeno incidente com o pé, e apesar de ter um exame de psicologia no dia seguinte, não conseguia aguentar as dores.

De manhã teria de ir para o exame mesmo sem ter descansado convenientemente.

 

Cheguei à triagem e a enfermeira perguntou-me logo se eu conseguia andar bem. Eu respondi que podia andar ao pé coxinho se as distâncias a percorrer não fossem muito longas. Ela começou a fazer o diagnóstico, inclusivamente auscultou-me, mediu-me os índices de oxigénio e deu-me pulseira laranja. Eu que estava á espera de uma pulseira amarela no máximo, fiquei toda contente por um lado, pois significava que a espera seria menos longa. Mandou-me entrar de imediato. Veio um enfermeiro com uma cadeira de rodas e levou-me para uma sala, à saída acenei ao meu pai e disse que ia fazer os exames, não seria necessário acompanhar-me, tinha o telemóvel e dizia-lhe algo quando estivesse tudo despachado.

 

Levou-me para uma sala de aerossóis, puseram-me a soro num dos braços, no outro tiraram-me sangue e com outra agulha, que me espetaram em cima do dedo grande da mão, mediam os índices de oxigénio. Para além disso ainda me puseram uma máscara, mas ninguém ligava nenhuma ao meu pé, achei aquilo tão estranho que enviei mensagem ao meu pai.

 

Quando ele chegou apanhou um susto tremendo.

Pai: Ana, mas o que é que se passa? (a ficar branco)

Chic' Ana: Pois, não sei, deixaram-me aqui assim. E disseram que eram instruções do médico e que já vinham ver os resultados.

Pai: Mas já te viram o pé? Porque é que estás de máscara, a soro, e tens os braços todos furados??

Chic' Ana: Não, ninguém me viu o pé, dizem que vêem daqui a 30minutos ver como estou.. Fiz análises, levaram sangue em dois tubinhos, não faço ideia.

 

E agora, lanço-vos um desafio: mas o que se passou? Porque é que ninguém ligava ao meu pé? Afinal foi do que eu me queixei e o motivo para ter ido ao hospital..

 

quadrinhos_621_fila.png

251 comentários

Comentar post

Pág. 1/6