Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Apetite fora do normal? Solução à vista!

Uma das características inerentes à gravidez é o aumento de apetite que temos. É um pouquinho acima do normal, embora não tenha aumentado drasticamente, nem aumentado muito a quantidade de alimentos ingeridos..

 

Mas, por vezes, a meio da manhã ou da tarde, temos uma fominha repentina e tem de ser satisfeita, eu tenho recorrido a snacks como fruta ou cenoura, por vezes umas bolachinhas. Contudo, ontem, numa ida à despensa, avistei um pacote de batatas fritas, na última prateleira, fora do meu alcance, sim, porque subir a cadeiras ou escadotes já é um pouquinho complicado..

 

batata.bmp

 

Ora, aquele pacote tinha mesmo bom aspecto e tinha sido colocado pelo M lá em cima para não ceder à tentação.. mas.. ele não estava em casa e apetecia-me mesmo uma batatinha (já se sabe que o fruto proíbido é sempre o mais apetecido!).

 

Toca de começar a saltar para tentar alcançar o pacote. Nada! Ao fim de 3 ou 4 saltos já estava cansada. Fui buscar a esfregona e com o cabo tentei empurrar o mesmo para baixo. CONSEGUI! O pacote aí vinha, mas os meus reflexos já não são o que eram e levei com o pacote em cheio na cara.

Fiquei tão irritada com o mesmo, que em vez de comer as batatas, atirei-o novamente para o sítio em que ele estava.

 

Ao jantar..

M: O que tens no lábio?

Chic' Ana: Eu? Nada!

M: Tens, tens! Um arranhão ou uma ferida pequenina...

Chic' Ana: Ah, sim, posso ter levado acidentalmente com algo na cara!

M: Hum?

Chic' Ana: Sim, (passado um pouco..) colocaste o pacote das batatas na última prateleira, eu não o conseguia alcançar, e no meio da confusão ele caiu-me em cima! Mas descansa que não as comi, fiquei de tal forma irritada que o voltei a colocar no sítio.

M

 

Sabem a sensação de euforia e contentamento de conseguirem alcançar o objeto tão desejado? Tal e qual a imagem, foi como me senti com o pacote das batatas fritas. 

images (1).jpg

O quartinho

Faltam pouquinhas semanas para conhecer a Little B, a ansiedade já aperta, está presente em todo o lado: Será que já temos tudo organizado? Será que falta alguma coisa fundamental?

Temos seguido várias listas de produtos essenciais e temos contado com apoio de pessoas bem mais experientes que nos têm tranquilizado, contudo, há sempre aquele nervoso miudinho..

 

Hoje decidi partilhar convosco algumas imagens que nos têm preenchido os dias: 

DSC01715.JPG

O detalhe da árvore, uma cerejeira em flor que foi pintada pela K, obrigada, realmente nunca me canso de te elogiar, porque faltam palavras para descrever o quão talentosa és. 

DSC01716.JPG

 

A cómoda da nossa princesinha que já conta com algumas roupinhas: 

cómoda.bmp

Obrigada mãe por seres um apoio constante nesta caminhada e por toda a magia que fizeste com simples tecidos (candeeiro, colchas, almofadas e peluches, cortesia da minha mãe). 

 

Obrigada a todos os que contribuíram, embelezaram e fazem este percurso connosco, muitas delas bloggers, que hoje em dia são amigas, muito importantes e que têm um lugar muito especial no meu coração! OBRIGADA!

O Mundo está louco.. ou.. a revolta das empregadas!

Sinceramente acho que o mundo está louco: são atentados atrás de atentados, são incêndios por todo o lado, não há uma única notícia positiva em 1h30 de telejornal, em pleno Agosto Lisboa está uma cidade caótica, trânsito, buzinas, má educação... Fui eu que voltei de férias com tolerância zero, ou é realmente neste estado em que nos encontramos?

 

As pessoas estão de semblante carregado, já pouco sorriem.. Valem-me as empregadas aqui dos prédios ao redor.

 

Em plena ida ao supermercado, que conta com uma esplanada na rua:

Empregada 1: Já sabes, já sabes?

Empregada 2: Não faço ideia..

Empregada 1: Mas como é que é possível? Nós já trabalhamos aqui na rua há mais de 30 anos e ninguém se apercebeu nem sabe de nada?

Empregada 2: Temos de começar a investigar, as coisas não podem ser assim!

 

E lá continuaram muito afoitas no seu mistério. Eu a pensar em assaltos, numa catástrofe eminente, e nisto chega a Empregada 3.

Empregada 3: Então, que se passa? Tanta preocupação.. aconteceu algo grave?

Empregada 1: Então não é que está uma casa à venda nesta correnteza e ninguém sabe quem é a pessoa que a está a vender, e mais importante.. porque é que a está a vender..

Empregada 3: Não acredito (com o ar mais chocado que existe!). Temos de descobrir o que se passa.

 

Chic' Ana

 

coala_trauma.jpg

 

Spinner

A semana passada fui apresentada ao Spinner. Já tinha ouvido falar do mesmo e dos seus benefícios para as crianças: ajudar a controlar o stress e a ansiedade, ajudar no distúrbio de atenção e autismo, mas desconhecia o seu modo de funcionamento. 

 

Um colega meu adquiriu um para o filho e eu com a minha curiosidade pedi para experimentar. O Spinner é um objeto pequenino, com três pontas, cujo objetivo é fazê-lo rodar. Ao rodar, produz sem dúvida um efeito visual interessante, por causa das diferentes cores que se misturam entre si, é quase hipnótico.

 

Ali fiquei, parada, a girar aquilo e a pensar nos desafios que teria associado... Pois, não tem. O objetivo é apenas rodar e ver quanto tempo passa até parar! A verdade é que as crianças fazem campeonatos associados a estes brinquedos, sendo o vencedor, aquele que rodar mais tempo. O modo como as cores se conjugam é bastante engraçada, mas depois de o fazermos uma vez, é sempre igual.

 

Sinceramente não fiquei fã, acho que é mais um brinquedo que potencia a que as crianças fiquem estáticas, paradas, que não os ajuda a conviver e a interagir entre si. É mais um brinquedo de isolamento. Pode acalmar sim, e pode ser interessante em determinadas terapêuticas, mas continuo a preferir os brinquedos mais tradicionais que os obriga a socializar.

 

Qual é a vossa opinião sobre estes brinquedos, que tanto conquistam crianças como adultos? Sabem de mais alguma aplicação que eu desconheça?

 

spinner.JPG

 

Quanto ao vencedor do passatempo, a feliz contemplada foi a Catarina Reis, muitos parabéns! Já publiquei o resultado no facebook, com identificação, esta semana envio mensagem para combinar o envio.

 

Uma grávida e um crocodilo

Eu bem que vos prometi que iria contar uma das peripécias mais engraçadas que me aconteceu e aqui está ela, acabou por ser também dolorosa.. mas.. vamos ao relato!

 

Chegados ao apartamento das férias, a primeira coisa que eu descobri foi um crocodilo em formato boia, e eu, como eterna criança que se recusa a crescer, não descansei enquanto não levei a mesma para o mar!

Todos me disseram para ter cuidado, mas qual quê, afinal a barriga dentro de água pesa muito pouco e havia momentos em que me esquecia completamente que estava grávida.

 

Apesar de eu me esquecer da barriga, ela existia, e portanto, toda a minha zona de equilíbrio estava comprometida. Não me conseguia colocar em cima do crocodilo por nada, cambalhota para aqui, para ali, cai aqui, cai ali.. uma desgraça!

 

20916664_1448478225220926_1629168046_n.jpg

 

Com tantas cambalhotas que dei, a pequenita deve ter colocado o pé num local proibido, que é como quem diz, deve ter colocado qualquer coisa a fazer pressão nos meus tendões ou em qualquer outro local, que quando saí de dentro de água, comecei com dores tão fortes que mal conseguia andar... Conclusão: Noite passada nas urgências, uma bela injeção no rabiosque para aprender a estar quieta, com um relaxante muscular, muito descanso, e felizmente no dia seguinte estava pronta para outra!

 

Escusado será dizer que o crocodilo nunca mais saiu do sítio original. Grávidas, não se esqueçam que apesar de dentro de água a barriga não pesar, ela continua a existir!

 

giro-da-morte.jpg

 

O regresso..

19850387_swQpg.jpeg

 

... E sem mais demoras, aqui estou novamente!

Confesso que foi um período excelente para recarregar baterias, para descansar, para recuperar, estava mesmo a precisar de uma pausa, mas também confesso que é muito bom estar de volta, já tinha saudades. Está tudo a correr muito bem com a bebé e espero que assim continue, num piscar de olhos já estou na recta final... faltam menos de 6 semanas!

 

Vou organizar as coisas, saber como estão, dos vossos espacinhos e sortear finalmente o grande vencedor do passatempo, sim, porque as férias foram um desligar da tecnologia a 100%. Peripécias?! Imensas!! 

A mais engraçada? Uma que envolve um crocodilo, uma grávida com uma barriga enorme e uma vontade ainda maior de continuar a ser uma eterna criança. Amanhã já vos conto tudinho!!

Férias

E as tão desejadas férias chegaram...

 

Confesso que estava mesmo a precisar de umas semaninhas de descanso e longe de tecnologias! O blog também vai de férias, pois claro, afinal também merece bronzear-se pelas belas praias de Portugal.

 

Para todos os que visitam este espaço, seja por engano ou não, para todos aqueles que comentam, que deixam sempre um pedacinho de si neste local, desejo sinceramente umas ótimas férias, que sejam um recarregar de baterias para enfrentar uma nova temporada de muito trabalho! Divirtam-se acima de tudo e sorriam, sorriam muito.

 

Da minha parte, segue um abraço muito, muito apertadinho e um beijinho bem repenicado.

 

boas-ferias.jpg

 

Esta semana ainda volto para anunciar o vencedor do passatempo que se encontra a decorrer aqui. Aproveitem os últimos cartuchos para participar.. Senão, a meio de Agosto voltarei com muitas mais surpresas! Até lá!!

 

Não deixem que as vossas férias sejam "beliscadas" por pequenas chatices, tudo se supera, é só preciso persistência e imaginação!

calvinharodotira240.gif

 

Beijinhos grandes 

 

 

A saga da escolha do filme

Eu e o M temos gostos muito diferentes no que toca a filmes: eu adoro um bom filme de terror (que ele me proibiu de ver na gravidez por causa das emoções fortes), uma boa comédia ou um filme de ficção científica. 

Já ele prefere um bom filme de ação ou policial. No que toca a escolha de filmes demoramos sempre horas e horas a decidir o que ver. Demoramos tanto tempo a ver traillers que a maior parte das vezes não escolhemos nenhum filme..

 

Contudo, ficamos sempre com o apontamento dos traillers que gostamos mais.. na memória! Na semana seguinte já não nos lembramos e o processo recomeça.

 

São mais ou menos 2h perdidas a escolher um filme que nunca chegamos a ver. Já tínhamos idade para ter juízo, não já?!

 

Suporte_1753.jpg

 

One smile a day... com a Andreia

A minha convidada de hoje é a Andreia, autora do blog As gavetas da minha casa encantada. Só o nome do blog já me faz gostar dele, transporta-me para um mundo que idealizava em pequena: em que tudo era encantado e mágico. Todos os dias, antes de abrir o blog, penso para mim: O que será que vou encontrar hoje ao abrir esta gaveta? Sentimentos, emoções? Objetos que nos fazem sonhar, histórias cativantes? E é um pouquinho de tudo isto que podemos encontrar no blog, temas do dia a dia, sim, mas temas que nos levam a refletir, a pensar. Tem uma forma de escrita envolvente que penso que será do agrado de todos. Sempre simpática e disponível, tal como podem constatar pela peripécia abaixo...

 

Olá a todos 

 

O bloqueio de escolher uma história hilariante calhou-me, desta vez, a mim. Não vou mentir, fiquei extremamente contente quando li o e-mail da Chic’ Ana. Mas isto é realmente difícil! E, já agora, aproveito para afirmar que não fujo à regra das pessoas que leem esta rúbrica e dão por si a pensar «E se fosse eu, que momento escolheria?». Obrigada pela oportunidade.

Sendo assim, abro a gaveta da minha vida encantada (vamos acreditar que sim) para vos descrever uma situação ridícula, que ainda hoje vale umas boas gargalhadas. Só vos digo que envolve tinta azul.

 

Na minha faculdade, quem faz parte da praxe junta-se sempre na segunda-feira antes do cortejo para preparar o carro (tanto caloiros, como académicos). E isto é tarefa para começar de manhã e prolongar-se noite dentro (sem esquecer, claro, todos os outros dias a fazer flores). Ora bem, o espírito é incrível, mas uma pessoa tem que fazer uma pausa para jantar. Como eu e o meu grupo de amigos estivemos a pintar umas faixas, os baldes de tinta azul e rosa andavam connosco para todo o lado. Até aqui, nada de extraordinário, o pior veio depois. O pior para mim, entenda-se, porque para os meus amigos foi a cereja no topo do bolo da risota.

Só para contextualizar, a minha faculdade tem dois edifícios: o principal e o de música. Nós decidimos ir jantar sossegados no piso de baixo do pavilhão de música. Na hora de voltar ao trabalho, há um ser crente nas nossas qualidades de ninja que não fecha um dos baldes de tinta. Quem é que o leva? Eu, pois claro. O que vem depois é previsível, não é? Pois bem, na altura de subir as escadas, não sei se foi um guaxinim, uma toupeira, ou uma vontade louca (e inconsciente) de testar as minhas capacidades que decidiu aparecer. Só sei que pus um pé no primeiro degrau, o meu joelho direito teve os seus cinco minutos e toda eu comecei a ver o meu corpo a inclinar-se em direção ao chão. A queda podia ter sido evitada? Podia, perfeitamente. Isto se não tivesse um balde de tinta azul aberto na minha mão. Porque na tentativa de o salvar caí. E por cima de mim caiu toda a tinta do seu interior. «E os teus amigos?», perguntam vocês. Os meus amigos vieram logo em meu auxílio, para ver se eu estava bem… Claro que não! Desataram-se a rir e a tirar fotografias (sim, há registo vergonhoso desse momento). Fiquei um autêntico smurf, ao ponto de ter que lavar o cabelo na casa de banho e de terem que ligar aos meus pais a pedirem para eles me irem levar roupa. Escusado será dizer que só saí daquele edifício quando já estava minimamente apresentável, ou seja, quando já não existiam muitos vestígios azuis em mim.

Na altura ri-me, mas na verdade não achei assim tanta piada, porque não é, de todo, confortável levar com tanta tinta em cima. Hoje sou a primeira a gozar com a situação. E claro que sempre que chega uma nova geração ao grupo esta história tem que ser relembrada, quase como que se fosse uma mensagem de boas-vindas.

Este momento já deve ter uns 3/4 anos, não sei precisar. E longe de mim querer ser má-língua, mas como castigo de se terem rido de mim, há amigos meus que ficaram com tinta nas mochilas. Poucos tiveram conhecimento deste episódio. Ai se aquelas paredes brancas (que ainda hoje preservam restos de tinta azul) falassem…   

 

Em homenagem a esta bela história, estava a pensar colocar o texto em azul forte, numa onda de solidariedade Smurf, mas depois de procurar e escolher bem, acho que a tirinha abaixo se adapta na perfeição!

Obrigada por esta bela partilha! O que eu me ri a imaginar a situação.

 

mentirinhas_68-copy.jpg

Nota: neste caso, o carro ficou maioritariamente rosa, pois o azul, bom, o azul acabou! Mas tinham sempre a hipótese de colocar a Andreia a dar um colorido especial à situação.

Aviso!

Hoje estarei ausente, tentarei desesperadamente procurar o meu novo tutu para a praia!

 

images.jpg

... Enquanto tento convencer a minha irmã que qualquer coisa parecida com a imagem abaixo é muito má ideia!

12-Pregnanant-Belly-Bump-Makeup-Beach-ball.jpg

 

Para além disso ainda tenho uma lista de coisas a tratar:

a) Ultimar preparativos para o BabyShower;

b) Comprar o que necessito para a mala da maternidade para mim e para a pequenita;

c) Fazer uma lista com tudo o que necessito de tratar antes e depois do nascimento...

 

De forma a que amanhã estarei de volta e com uma história, bem... aguardem para ler! 

 

Por falar em praia, verão e viagens, hoje sou a convidada da nossa querida C.S, na sua rubrica "Às quintas viajamos", querem saber o destino da minha lua de mel? Passem por lá!

 

Já participaram no passatempo delicioso?