Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

A cratera

Sabem aquela sensação de ter uma borbulha num sítio incómodo?! Pois bem, ontem tinha uma borbulha mesmo no meio da cara…

 

Cada vez que passava em frente ao espelho tentava ignorar a mesma, mas só lhe faltava saltar e acenar para eu lhe dar atenção, até que ao fim de umas horas fui vencida pela mesma! Vou buscar o álcool, desinfeto bem um algodão e toca de tentar retirar a cabecinha amarela.

Nada, sendo gentil não resultou. Tive de recorrer aos dedos, espreme daqui, espreme dali, até que finalmente fiquei satisfeita…

A borbulha desapareceu completamente, deu lugar a uma cratera!

 

Isto é o que se chama remover o mal pela raiz certo? Não importa o que fica no lugar da raiz, nem que o mal dê origem a um mal maior ainda…

2961610-13-0-1480533080-1480533083-650-098309109a-1-1480552815.jpg

 

Como retirar a pele ao tomate

Confesso que adoro blogs de culinária. Aprendo imensa coisa e já serviram de fonte de inspiração para muitas refeições. Para além disso, há sempre imensos truques, coisas tão simples que facilitam, e muito, todo o processo.

 

Modéstia á parte, adoro fazer sopas e sobremesas, acho que ficam sempre bem. Agora quanto ao resto, é sempre complicado decidir o que vou fazer, especialmente quando envolve tomate maduro. Digam-me, sou só eu que tenho uma dificuldade enorme em retirar a pele ao mesmo?

Começo a retirar a pele, ele começa a escorregar para todo o lado. Agarro-o melhor, de tal forma, que faço dois buraquinhos e ele continua a querer fugir para todo o lado. Tenho de lhe tirar a pele logo sobre a panela que vou utilizar, pois a quantidade de molho que escorre é de tal forma que geralmente chego ao fim sem nada na mão.

 

Meninas e meninos que estão habituados a lidar com tomate, como é que lhe tiram a pele de uma forma célere e sem sujar tudo em redor? Digam-me que não sou a única com esta dificuldade…

coala_culinaria4.jpg

 

Correr nos dias de hoje..

Continuando na senda do desporto, vamos alterar para algo muito mais amplo, como a corrida, em que se pode ser estiloso nos ténis, nas meias, na roupa, no penteado... Até nos acessórios!

 

Antigamente corríamos com uns calções velhos, com as t-shirts que eram oferecidas por uma qualquer marca (eu tenho umas das construções na areia, da Luta contra o cancro da Mama, etc.), com uns ténis já com alguns buraquinhos a espreitar, geralmente enlameados e todo o terreno. Agora? Agora nem pensar, porque se não tivermos uma t-shirt de material técnico não conseguimos correr tão bem..Precisamos de umas meias de corrida, de ténis xpto e de roupa completamente impermeável e transpirável!

 

O cabelo?! Sim, o cabelo tem de ter aquelas fitas próprias, um simples elástico está fora de moda. E, como eu sou uma pessoa de modas, não quis deixar que o meu cabelo se sentisse excluído. Avaliei muito bem todos os penteados disponíveis no mercado e qual é que eu escolhi? Um coque! (quem não sabe o que é, encontra-se na banda desenhada abaixo)… Pois foi, eu e a minha farta cabeleira rendemo-nos ao coque.

 

Belo dia, já equipada para correr, coloco mãos ao cabelo e satisfeita com o resultado final, desfilo qual passerelle em frente ao M…

Ele sorri e eu sorrio, ele continua a sorrir e eu cada vez mais satisfeita com a minha ousadia com o cabelo.

 

M: Pareces mesmo um cogumelo! Para além de teres a cara redonda, tens também uma bola no topo da cabeça!

Chic’ Ana:  

 

Estão a ver porque é que eu não estou na moda?! Sempre que tento dá nisto!

1716210-05-1473450904-650-01954624c5-1-1484149757.jpg

Nota: Também eu gosto de correr com roupa confortável e estilosa, mas recuso-me a pagar mais por vestuário para corrida do que por peças para utilizar no dia a dia. Os ténis sim, convém fazer um bom investimento para evitar lesões e apostar sempre num bom aquecimento. No caso das mulheres, também convém não descurar um bom soutien por causa do impacto. De resto, o mais importante é mesmo fazer exercício pela saúde.

A natação e a maquilhagem

Há alguns anos que pratico natação e na natação não há grande volta a dar: o penteado é o mesmo para toda a gente – a touca. Depois há toda uma moda de fatos de banho e chinelos. É cada desfile naquele cais da piscina que mais parecem as audições para um concurso de modelos. A par desta realidade, existem três modalidades de rostos:

 

    a) os naturais, sem qualquer maquilhagem, e onde se inclui a maior parte da vertente masculina – sim, porque já encontrei homens maquilhados;

 

     b) os de maquilhagem à prova de água, que estão sempre impecáveis com as suas longas pestanas e sombras brilhantes que se refletem na água;

 

    c) e finalmente…. os de maquilhagem normal! Minhas senhoras e meus senhores, se querem evitar ataques cardíacos na piscina, já para não falar do rasto preto ou colorido que deixam na água, por favor, desmaquilhem-se antes…

 

Curso-Gratuito-de-Automaquiagem-Online-maquiagem-borrada.jpg

 

Quantos de vocês já se depararam com tal imagem? 

Agora imaginem que a pessoa quer conversar convosco e sorrir para vocês com aqueles olhos... Assustador!

Aspiradores e homens!

Ontem já vos tinha dito que este fim de semana tinha sido rico em peripécias. Portanto, vamos lá..

 

Sexta-feira à noite telefonei à minha mãe para lhe perguntar se ia fazer alguma máquina de roupa branca. Ela disse que sim, e lá fui eu toda contente com duas camisas para aproveitar a lavagem.

 

Domingo, fui lá buscar as camisas já lavadinhas, branquinhas, branquinhas e aproveitei a tarde de engomar para as passar a ferro.

 

Coloquei o meu estaminé em ordem e mãos à obra.. Era uma pilha de roupa que me ia durar para a tarde toda. Para dividir esforços, o M ficou encarregue de aspirar o chão.

 

Já estava quase a terminar, com a roupa toda dobradinha na mesa da cozinha, camisas penduradas nas costas das cadeiras, quando chega o M de aspirador em riste. Aspira, aspira, até que vê uma migalha em cima da mesa da cozinha. O que é que ele decide fazer? Aspirar a migalha…

 

Entusiasma-se com o restante espaço e dá largas ao aspirador (já sem o acessório do chão, somente o tubo) que acaba por aspirar a minha camisa branquinha, branquinha. Ora, a manga da camisa entrou a direito para dentro do tubo do aspirador. Quando a conseguimos salvar do bicho devorador, a manga não estava branquinha, branquinha. A manga estava cinzenta escura…

 

2 horas de molho em Neoblanc gentil atenuou um pouco a sujidade, mas não a removeu. Coloquei-a em lixívia pura e não funcionou. Sugestões? Ideias? Alguém que salve a minha camisa branquinha, branquinha que agora está mais sujinha que na sexta-feira?

 

Como vêm não somos um casal com muita queda para os aspiradores! Ver aqui a história anterior.

03541c0bc9afe85a3a81117617719dab.jpg

Tempo extra

Este fim de semana pareceu-me mais comprido: para além de passear e descontrair, consegui fazer muitas coisas que tinha pendentes em casa. Com uma série de peripécias, mas amanhã contarei com mais detalhe!

 

Ora, descansada e descontraída, hoje não me custou nada saltar da cama com energia. Despachei-me rapidamente, olhei para o relógio e reparei que estava 10 minutos adiantada. Ok, decidi experimentar um novo lápis preto que tinha para os olhos.

 

Não contente com o cenário com que estava a ficar, decidi que o melhor era mesmo remover a linha e ir ao natural. 

Problema: o lápis é à prova de água e o removedor para este tipo de maquilhagem acabou. Esfrega daqui, esfrega dali, já estava atrasada. Disfarcei o melhor que pude, e quando cheguei ao trabalho, direitinha para a casa de banho para continuar a remover o lápis.

Satisfeita com o resultado final, sento-me finalmente na cadeira e começam a chegar alguns colegas.

 

Colega: Ena, o fim de semana foi bom! Vê-se mesmo na tua cara!

Chic' Ana: Então?

Colega: Estás com umas olheiras, pareces quase um panda.

 

Pronto, é isto.. tempo extra = asneira. 

666055-650-1454579944-14 (2).jpg

 

 

Relativamente ao sorteio, a grande vencedora foi a Vera Pacheco. Muitos parabéns, o próximo passatempo vem já a caminho. Boa sorte!

resultado.png

 

Ouvir música no trabalho

Eu adoro ouvir música, e, num ambiente de trabalho amplo, quando uma tarefa exige concentração máxima, pode ser um bom escape e funcionar como isolador de todo o burburinho que existe em redor.

 

Assim foi, ontem à tarde precisava de terminar urgentemente uma tarefa para a reunião que iria ter. Coloco os phones nos ouvidos e trabalho afincadamente.

Chegada a hora da reunião, retiro os mesmos dos ouvidos, um dos phones cai e prende-se nos caracóis. Como é habitual, tudo o que cai no meu cabelo é dele. O phone não foi exceção. Tento retirar e quanto mais o faço, mais ele se embrenha nos caracóis.

 

Olho para a hora e vejo que estou demasiado atrasada. Pensa Ana, pensa….

 

Retiro os phones do computador, passo-os por dentro da roupa, e tento fingir que é algo natural, podem estar associados ao telemóvel.

 

A reunião começa e de vez em quando vejo uns quantos olhares com uma pergunta silenciosa. Pergunta essa que finalmente tomou forma pelo meu colega do lado.

 

Colega: Ana, porque é que tens um fio pendurado no cabelo?

Chic’ Ana: Nota-se muito? Não o consigo tirar, está todo enrolado!

Colega: Acho que toda a gente reparou, mas age como se nada fosse.

 

Assim foi, terminou a reunião e eu estive 20 minutos na casa de banho a socorrer o phone do meu cabelo!

 

9.jpg

 

Um porquinho bem limpinho

Eu sempre adorei animais e sou como os espanhóis nesta matéria, eu vejo com as mãos. Desde um bode, a um cavalo, a uma vaca, eu tenho de tocar e de lhes fazer umas festinhas.

 

Em visita à quinta pedagógica, com inúmeros animais, entre todas as possibilidades, eu tinha de me apaixonar por um porquinho. Era um porquinho  pequeno, todo pretinho, com um pelo ralo, limpinho e reluzente. Ele aproximou-se da vedação, e como esta era baixinha, inclinei-me e toca de fazer festas, de abraçar o porquinho, de lhe dar a comida que eles lá tinham.. de facto só me faltou saltar lá para dentro e rebolar com o mesmo na palha.

Às tantas, já toda a gente tinha dado a volta à quinta e era hora de ir embora. Com muita pena lá me afastei do porquinho, e reparei que a minha mãe olhava meio de lado para mim.

 

Chic’ Ana: Vocês viram o porquinho? Era mesmo bonito, não era? Tão fofinho.. e estava tão limpinho… 

Mãe: Ana, tu tens noção que o porquinho era cor de rosa, certo?

Chic’ Ana: Não era nada, era todo pretinho…

 

Nisto, olho para trás e vejo o porquinho, tão limpinho e asseado, a rebolar em cima dos excrementos. Pois, a cor estava explicada!

 

Chic’ Ana: Desinfetar a mão, desinfetar a mão...

 

Escusado será dizer que ainda hoje gozam comigo por causa deste episódio!

mhdm_137.jpg

 

Já viram a minha entrevista no cantinho da Marta? Venham daí

O meu Diablo

Este fim de semana estive a jogar Diablo, desengane-se quem pensa que estou a falar da febre do jogo de computador ou consolas que para aí anda, estive mesmo a jogar com aquele objeto em forma de ampulheta, que tinha dois pauzinhos com uma corda para equilibrar o objeto, atirar ao ar e voltar a apanhar.. Sabem do que estou a falar, certo? Ou estou a desenterrar um típico tesourinho deprimente?

 

Eu era mesmo boa com aquilo: fazia uma série de truques e normalmente atirava o Diablo a uma grande altura e conseguia apanhar sem qualquer problema.

 

Ontem foi o dia, o dia em que percebi que tenho de praticar mais se quero regressar à infância.

 

Estava eu muito bem ao lado da casa a atirar o Diablo ao ar, ele subia cada vez mais, cada vez mais alto, e eu com cada vez mais confiança. Sempre me disseram que quanto mais se sobe, maior é a queda, pois assim foi. A minha confiança está neste momento em cima do telhado, juntamente com o Diablo. 

Podia alegar que esteve um vento demoníaco, mas não corria uma aragem. Podia dizer que foi uma gaivota que colidiu com ele e que o empurrou para cima do telhado, mas por aqui só há mesmo aves de rapina e não se via nenhuma nas redondezas...

 

Dream on, dream on!

tumblr_lj5s4cLl0B1qcfiwno1_400.gif

Eu voltarei para te buscar, quando ninguém estiver a ver... Espera por mim!

 

Já participaram no passatempo? Restam 2 dias!

O meio da semana!

O meio da semana costuma ser um dos dias mais produtivos. Analisemos o meu começo da manhã e digam lá que o dia de hoje não promete:

 

Há uns dias que não consigo colocar o relógio preto no pulso – o sono geralmente é tanto que nunca consigo colocar a peça do fecho no sítio correcto.

Hoje, após um esforço magnânimo, cerca de 10 segundos, consegui.

 

Sentada já à frente do computador, percebo que o relógio não se encontra com a hora certa e trato de proceder à sua alteração (eu puxo o botão para não gastar a pilha quando não o utilizo), mas o botão estranhamente está no lado oposto.

Faço um esforço para o acertar, que isto do botão não estar no sítio devido é um bicho de sete cabeças.

Orgulhosa e já com o relógio impecável vou tirar uma dúvida com um colega meu que tem o desplante de me dizer que tenho o relógio ao contrário!

 

Se até à data tinha dificuldade em colocar o relógio, agora a minha dificuldade é mesmo retirar o relógio do pulso, o fecho está ao contrário. Acham que parece muito mal pedir ajuda para o trocar ou fico o dia todo com o relógio ao contrário e aguardo até chegar a casa?

 

Algo me diz que o meu anjinho da guarda hoje vai ser chamado ao serviço...

aureolos_64-copy.jpg