Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

One Smile a Day com.. o HD

O convidado desta semana é o HD, autor do blog Hetero Doméstico. Ele descreve o seu próprio espaço como "Tudo o que não precisas de saber sobre decadência doméstica e opinião pública degradante", e eu acrescentaria, tudo o que não precisamos de saber, mas que queremos sempre saber! O Hetero faz uma pesquisa de várias notícias e escolhe sempre as mais insólitas, algo que nunca pensaríamos existir, mas de facto existe! Curiosos? Passem por lá e espreitem, serão muito bem recebidos.

 

Há 2 tipos de casamentos. O de familiares e o de amigos, cujos familiares são autênticos estranhos e a interação após o copo de água pode promover algumas situações hilariantes ou, no pior dos casos, um momento de desconforto… vitalício!

 

                Foi o casamento de um amigo de longa data. Já não tem longos cabelos, já não tem aquele sorriso fácil, mas tem uma esposa afável!
                A cerimónia decorreu com a naturalidade habitual, à exceção da birra de um menino que não parava de perguntar quando é que o padre iria distribuir as batatas fritas brancas.

                A noiva estava impaciente por tirar fotografias com os convidados, pois já se tinha apercebido que os amigos do lado do marido – incluindo o responsável por este conto de fadas- já estavam a destilar todo o álcool disponível na entrada da quinta!

                A comida também estava maravilhosa, a julgar pelos botões das camisas que iam sendo disparados ao longo da refeição e pelos conjuntos da tupperware que estavam empilhados atrás das tias da noiva…

                Lembro-me de tentar ir à casa de banho e regressar prontamente. Julgamos que havia algum entupimento nos esgotos, mas entretanto apercebemo-nos que não havia qualquer problema na canalização, pois o ‘Tio Tó’ fazia abanar as cortinas mesmo com a janela fechada!

                Finalmente, o bailarico. Havia um senhor febril de nome impossível de pronunciar, que dançou com várias senhoras de idade, com um empregado de bigode e com o vaso da palmeira que tinha as fotos dos convidados.

                O Miguel comentou com a noiva que o senhor febril, que já tinha a gravata na testa, estava a dar umshow de vinhobola. Ela respondeu que não estava incomodada:
                - É o meu casamento, eu tolero tudo o que possa acontecer.
                Além disso, é perfeitamente normal. É o meu pai!

 

Realmente tudo o que envolve casamentos, tem sempre alguma peripécia hilariante para ser recordada! E tu aqui, tens vários episódios num só, que me fizeram sorrir a cada frase.

Muito obrigada por esta bela partilha.

 

mentirinhas_510.jpg

Já todos concorreram? Não? Aproveitem o fim de semana!

One Smile a Day com.. a Fénix

Esta semana a minha convidada é a Fénix, autora do blog À procura de mim. A Fénix é uma pessoa muito comunicativa, simpática e sempre com uma palavra amiga. O blog é uma espécie de diário, onde relata os acontecimentos mais marcantes do dia.

Divorciada, conseguiu dar a volta por cima e hoje encara a vida com um grande sorriso. Uma vida a 3 – ela, o filhote e o cão, pois claro! Uma mulher de armas, que eu admiro por toda a garra e determinação. Não a conhecem? De que estão à espera? 

Isto passou-se durante a minha lua de mel em Lisboa (estou divorciada mas recordo os bons momentos).

 

Ambos benfiquistas escolhemos uma tarde para visitar o Estádio da Luz mas, como bons portugueses, quando chegámos já estava a decorrer a última visita.

 

Nisto vimos um senhor sair, a porta ia-se fechando lentamente e conseguimos entrar para o memorial do Feher, fotografámos, vimos tudo bem visto. Quando tentámos abrir a porta e o raio da porta não se abria, eu comecei logo a entrar em pânico, já me estava a ver ser levada para alguma esquadra da policia.

Nisto fez-se luz, estava um botão... bem, ou era a campainha e íamos a passar a maior vergonha das nossas vidas, ou era para abrir como as portas dos bancos.

Nisto abre-se e parecíamos duas criancinhas todas contentes a fugir dali antes que alguém aparecesse.

 

O que eu me diverti a ler este testemunho. Só os consigo imaginar às voltas, em pânico, fechados com uma estátua e as noticias no dia seguinte: “casal de noivos, em lua de Mel,  encontrados a dormir junto ao memorial de Feher”.

 

Obrigada por esta bela partilha.. E já sabes, vir á capital sim, mas não fiques trancada por aí!

mentirinhas_610.jpg

 

One Smile a Day com.. a Kat

A minha convidada desta semana é a Kat, autora do blog O Blog da Kat. Aqui podemos encontrar diariamente um look com as peças identificadas por loja e preço. Mas nem só de roupa e moda se faz este blog. Conta peripécias do dia a dia, momentos pessoais marcantes, casas e viagens de sonho, e, para além de tudo isto tem a Kat – pessoa extremamente simpática que nos acolhe sempre de sorriso no rosto, desde que calcemos as pantufas à entrada! Vale a pena conhecer o blog e a autora, venham daí!

 

Estava eu para ir passar uns dias a casa dos meus pais, quando percebi que tinha no frigorífico uns iogurtes a acabarem o prazo.

 

Peguei na geleira, que já não era usada há algum tempo, e achei bem dar-lhe uma lavadela.

Água para dentro, detergente da loiça, e eis senão quando tenho uma ideia “brilhante”: A geleira é uma coisa estanque, certo? Para a comida ficar fresquinha, deve ser!

 

Então toca de lhe colocar a tampa, fechar, e virá-la de pernas para o ar para agitar.

 

Pois, só que não. A geleira não é estanque!

Água no chão, água na Kat, água na cozinha toda...

Correu bem...

 

Mas deixem lá, ao menos a geleira ficou limpinha, eu também (com 2 banhos em menos de 1 hora), e os iogurtes lá chegaram inteiros ao destino.

 

Já agora, devo ser das poucas pessoas a levar comida para casa da mãe, não devo?

Normalmente a geleira vem cheia mas é em sentido inverso, cheia de comidinha da boa, croquetes e afins ;)

 

Confesso que eu era menina para fazer o mesmo, portanto, ainda bem que contas tal episódio porque já aprendi uma lição muito, muito importante.

 

Assim que vi esta BD achei o máximo, neste caso não foi tão crítico como um incêndio, mas sim uma inundação!

Obrigada por esta bela partilha, acredita que a li com um sorriso do princípio ao fim!

 

fc_jantar.jpg

 

One Smile a Day com.. a Ana

A minha convidada desta semana é a Ana, autora do blog Receitas fáceis, rápidas e saborosas!. A Ana tem um dos blogs de culinária mais visitados atualmente, apostando em receitas muito acessíveis e sempre com uma imagem capaz de nos deixar de água na boca. Já encontrei por lá muitas iguarias e sempre deliciosas. A Ana é mãe, esposa e adora cozinhar. Tem uma personalidade que cativa, sempre com um sorriso fácil e disposta a ajudar. Querem sugestões de refeições? Doces ou salgados? Pois têm aqui o lugar certo. E como a Ana é muito mais do que a culinária, convido-vos a conhecerem-na um pouquinho melhor.
Um dia a minha mãe foi para o hospital para fazer uma operação de alto risco e uns dias antes desabafou comigo que gostava muito de ter uma Santa Rita com ela, para a proteger e eu pensei em oferecer-lhe um daqueles cartõezinhos que tem o santo e a oração pertencente. Corri tudo mas nada de encontrar o que procurava e já andava desanimada quando no café me disseram "olha isso que tu procuras, só encontras na funerária... " What? Será que ouvi bem?
"Não aí é que eu não entro.." Mas a vontade de fazer a vontade à mãe foi maior e lá fui num sábado perto da uma hora da tarde à funerária...
 
Quando lá cheguei estava fechada... Já estava para me vir embora quando vejo um senhor todo vestido de negro e presumindo que não era do MIB (man in black, o filme) pensei, se calhar é da funerária.
 
- Boa tarde, desculpe o senhor é da funerária?
- Sim porque?
- Sabe é que eu queria... e expliquei o que queria.
O Sr. num passo pesado e vagaroso la abriu a funerária pousou as coisas dele no balcão e foi procurar o que eu lhe tinha pedido.
 
Minutos depois da compra feita despeço-me e agradeço e rumo a casa (a pé... deu -me para ali nesse dia).
 
Quando chego a casa meto a chave à porta e a chave não roda na fechadura. Tento mais uma vez e outra até que olho para a chave e nesse momento senti um raio a subir por mim acima! Aquelas não eram as minhas chaves! Eu tinha trazido as chaves da funerária!!
 
Nervosa e ansiosa e a passo de corrida voo em direcção a funerária, e, quando lá chego, vejo a funerária revirada ao contrário com um homem vestido de preto e chateado a revirar tudo a procura das chaves para fechar a loja.
 
Desculpo-me ao homem, dou-lhe as chaves, as minhas estavam em cima do balcão onde as tinha deixado, saio a pedir desculpa novamente perante o ar de chateado do homem e juro nunca mais voltar a não ser que seja obrigada, não sei se me entendem.
 
O que eu me fartei de rir Ana, foi sem dúvida por uma boa ação que foste à funerária.. Mas ficar com as chaves da mesma é realmente assustador.
 
Muito obrigada por esta história tão divertida e muitos parabéns por todo o teu percurso! Que continues assim, com sucesso por muitos e muitos anos!
 

Funerária.jpg

One Smile a Day com.. a Filipa

A minha convidada de hoje, sexta-feira 13 é a Filipa, autora do blog A girls life. A Filipa tem 24 anos e vive em terras bem quentinhas: No Algarve. Formada em Turismo, adora tudo o que seja livros, filmes, séries e queijos. Não consegue manter os pés quietos um segundo que seja e gosta imenso de fotografia. O blog surgiu do gosto pela escrita e é essencialmente um diário, onde regista os momentos mais marcantes pelos quais passou. Conheçam um pouquinho mais da Filipa, façam-lhe uma visita, serão muito bem recebidos com um amplo sorriso.

 

Antes de mais, muito obrigada por este convite chic! É uma honra estar a participar nesta rubrica no teu cantinho que acompanho com muito carinho!

 

Em relação à minha história.. Eu sei que a época natalícia já passou, mas o episódio que eu vou contar passou-se no Natal, há muitos anos atrás!

Rondava o ano de 2000 e poucos, devia ter os meus oito anos. Desde pequenina que no dia 25 de manhã é tradição visitar-mos os meus tios para fazer troca de presentes. Como habitualmente, a minha tia entregou-me o meu presente e eu sentei-me e comecei a desembrulhá-lo.

 

Passado um pouco a minha tia vê-me a cochichar com a minha mãe e pergunta-me "precisas de ajuda a abrir?" ao que eu respondo muito rapidamente "Não. É que eu não gosto.."

 

Escusado será dizer que a minha tia ficou um pouco triste, mas mais fiquei eu..que recebi um nécessaire axadrezado com 8 anos..

 

Não podia ter escolhido melhor convidada. Já que a sexta-feira 13 está associada ao azar, nada melhor que uma prenda azarada! Com 8 anos as crianças querem brinquedos e não um necessáire xadrez..

 

Mas.. vamos acreditar que a prenda veio trocada, com consequências menos nefastas que na imagem!

mentirinhas_673.jpg

 Bom, e o resultado do passatempo sai em breve!

One Smile a Day com.. a Fia

E o que voltou com o início do ano? A rubrica que promete colocar um sorriso no nosso rosto.

A convidada desta semana é a Fia, autora do blog O cantinho da Fia. A Fia é natural da suíça, com nacionalidade portuguesa e com atual residência na Bélgica. Toda esta experiência de vida só podia resultar num blog rico em diversidade. Desde culinária, a exercício, desde locais marcantes a moda e beleza, podemos encontrar aqui de tudo um pouco. Para além de todos estes temas interessantes, a personalidade da autora é algo que se destaca: sempre simpática e com um sorriso pronto, promete receber-nos sempre de braços abertos. Passem por lá!

 

Confesso que até fiquei emocionada quando recebi o convite da Chic’Ana para participar na rubrica One Smile a Day e foi com muito entusiasmo que o aceitei. Adoro esta rubrica, assim como qualquer peripécia contada pela Chic’Ana. Já lhe disse que ler o blog dela logo pela manhã é como receber um boost de energia.

 

Logo após aceitar o convite comecei a pensar na melhor peripécia para vos contar. Inicialmente fiquei bloqueada e não me conseguia lembrar de nada, mas passados alguns segundos comecei a lembrar-me de muitas e o difícil foi mesmo decidir qual partilhar.

 

Decidi então partilhar uma história que simboliza a inocência das crianças, neste caso a minha inocência. Ter irmãos é maravilhoso e quem os tem sabe disso, mas nem sempre a relação é um mar de rosas. Eu e a minha irmã mais velha somos um bom exemplo disso: andávamos sempre zangadas quando éramos mais novas, mas ao mesmo tempo éramos inseparáveis. A minha mana estava sempre com a mão pronta para me dar tautau, com ou sem razões para tal. Até que chegou o dia em que eu muito chateada com a situação virei-me para a minha mana, muito segura de mim, com o dedo indicador apontado para ela e disse-lhe assim:

Fia: Um dia, quando eu for mais velha do que tu e tu mais nova do que eu também te vou dar tautau e vais ver que não é bom.

 

Ainda hoje em dia a minha teoria é motivo de risota para toda a família. Uma coisa lhes garanto, os anos foram passando e eu nunca consegui ser mais velha do que a minha irmã mais velha :p Estranho, não acham?

 

Mais uma vez quero agradecer à Chic’Ana pelo convite. É um privilégio partilhar uma das minhas peripécias aqui no teu blog.

 

À Chic’Ana e a todos os que por aqui passarem desejo um 2017 muito feliz!

 

Muito obrigada Fia, pelas tuas palavras e acima de tudo por esta bela partilha. Realmente a inocência das crianças é algo extraordinário e tenho a certeza que vais despertar muitos sorrisos - pelo menos o meu já o tens!

 

Eu acho que eras menina para ter o discurso abaixo, assim que vi a banda desenhada lembrei-me logo de ti e desta história!

mentirinhas_540b.jpg 

One Smile a Day com.. a Inês

A rubrica “One Smile a Day” vai de férias e estará de regresso no novo ano. Como tal, tinha de escolher uma convidada docinha para terminar o ano em beleza. Pensei, pensei, e eis que vos vou apresentar a Inês, autora do blog O Diário da Inês. Este blog surgiu em 2012 para  relatar as aventuras da Inês por terras de sua majestade, enquanto terminava o doutoramento em Plymouth. O que inicialmente era um escape e um meio de registar memórias, tornou-se um companheiro diário e mantém-se até aos dias de hoje. A Inês fala-nos essencialmente de iguarias culinárias, mas os passeios, a apreciação de restaurantes e a indicação de locais para eventuais estadias, entre outras, também estão presentes. É uma pessoa dinâmica, alegre, amiga e muito simpática. Passem por lá, vão adorar conhecer o cantinho dela e também as delicias com que nos brinda. 

Tenho-vos a confessar, tal como alguns já aqui confessaram, que foi com entusiasmo que vi que tinha um email da Chic’Ana. Desenfreadamente e com as mãos a tremer, que mal controlava o rato, lá li em puro êxtase o convite para o One Smile a Day. É que temos que admitir que é um privilégio estar aqui a escrever neste blogue que adoro ler. Sou pessoa propensa a peripécias parvas, umas mais hilariantes do que outras, e assim lá comecei a pensar qual seria a melhor peripécia para vos contar e para fazer jus ao nome ao provocar-vos pelo menos, One Smile a Day. :)
Vamos então deixar de devaneios, não antes de dizer, obrigada Chic’Ana pelo convite, e começar a parte que interessa e para a qual fui convidada, a minha história que vos causará um sorriso, pelo menos assim o espero!
 
Sou uma pessoa que por diversas vezes já se assustou pensando que não conseguia sair de algumas casas de banho, mas felizmente acabava sempre por conseguir sair, isto até o dia em que não consegui!
Fui a uma consulta e antes de me ir sentar para esperar pela minha vez resolvi ir à casa de banho. 
Comecei logo bem ao entrar num consultório pensando que era a casa de banho, felizmente havia uma estante entre mim e o médico e acho que ninguém deu pela minha entrada e consequente saída.
Depois não encontrava a luz da casa de banho que ficava já meio escondida atrás da porta, que era de deslizar. Finalmente acendi a luz e entrei na casa de banho, foi difícil trancar a porta mas acabei por conseguir.
O pior começou na hora de sair, nem por nada conseguia abrir a porta, primeiro não conseguia rodar a fechadura mas depois de ela, aparentemente, estar na posição destrancada eu continuava a não conseguir deslizar a porta para a abrir. Parei várias vezes para me acalmar e voltar a tentar e nada... Já toda eu era nervos, calor e rubor facial! 
Pensei, pensei e percebi que só haviam duas saídas, ou me armava em histérica e gritava que estava presa na casa de banho ou comportava-me como uma lady. 
Como é óbvio resolvi comportar-me como uma lady, peguei no telemóvel e liguei para a recepção. Atende a senhora com um "clínica xxxx, boa tarde em que posso ajudar?" e eu respondo "olhe se faz favor, estou fechada na vossa casa de banho, podia vir destrancar-me?" 
A senhora veio abrir a porta com uma chave e assim ninguém deu por nada, excepto um senhor que estava à espera para ir à casa de banho e que perguntou se a podia usar.
Agora pergunto eu, se ele lá estava a ouvir as minhas tentativas frustradas de sair da casa de banho, não perguntava se eu precisava de ajuda? 
Inês, obrigada por esta história fantástica, acredita que vais despertar muitos, muitos sorrisos. E para mim, é um prazer ter-te no meu cantinho, com a certeza que não ficarás aqui trancada, mas antes eternizada!
 
Quando vi esta imagem achei que se adequava bem à situação, embora não tenha sido assim tão traumática!
 

mhdm_77-copy.jpg

 

One Smile a Day com.. a Maria

Depois de um feriado muito bem passado, voltamos para encerrar a semana com chave de ouro. A minha convidada de hoje é a Maria, autora do blog Oh por favor, não, não é uma prece, é mesmo o nome do blog. A Maria é novinha nestas andanças, mas veio para ficar e de uma coisa tenho a certeza: já me ri muito com as peripécias que ela relata do dia a dia. Descreve o blog como “Este espaço não pretende ser agradável, pedagógico nem trará respostas a dúvidas existenciais. É apenas um escape! Um meio que a autora (pessoa bonita e magnânima pá) encontrou para despejar as frustrações e irritações de uma vidinha sem sal.” Na minha opinião, é um espaço mais que agradável, onde sou sempre recebida com um largo sorriso e onde as situações são retratadas com muito humor. Vale a pena conhecerem, não só o blog, mas também a sua autora.

 

Foi com bastante surpresa que recebi o convite da querida Chic’Ana para participar nesta rúbrica fantástica. Após o choque fiquei mais inchada que um pavão!

É que isto de só por cá andar há um mês e contar já com este convite deixa-me deveras orgulhosa (para além de preocupada com a sanidade mental de quem perde tempo a ler as minhas baboseiras). Querida Chic’Ana, a menina é Ispantosa!

Obrigada e depois tratamos do pagamento.

 

Não sendo hilariante esta história deixa-me com um grande smile everyday! A minha mãe tem 85 anos e, acreditem ou não, é doida por motas! É mal de família mas a Mãe Maria já tem idade para ter juízo. Felizmente não tem!

Este ano decidi levá-la à Concentração de Motos de Faro, não podia ser qualquer uma, tinha de ser A Concentração. Por uma questão de conforto não a levei para o recinto (que a moça ainda me fugia com um motard giro) tendo ficado apenas pelo centro de Faro. O que vi naqueles 2 dias foi inexplicável!

 

Sabia que ela ia gostar e ficar surpreendida com a quantidade e variedade de motos, mas não estava preparada para o estado de êxtase com que a vi. Estava feliz, estava muito FELIZ mesmo! Como devem imaginar, não são muitos miúdos desta idade que se vê por lá, pelo que toda a gente vinha meter-se com ela.

Ele era oferta de caipirinhas/sangria ou qualquer coisa que a pequena quisesse, motards gigantes a desviarem-se para que ela se pudesse sentar na esplanada, um dono de um estabelecimento a ordenar aos seus funcionários que não tirassem Xutos e Pontapés porque a senhora estava a gostar…

O ponto alto aconteceu quando lhe estava a tirar uma foto junto a 2 motos particularmente giras e apareceram os donos, 2 Ingleses amorosos que se ofereceram para tirar foto com a Mãe Maria. Parecia um galheteiro invertido, ela muito pequena no meio dos 2 sendo que um deles fez questão de por o seu capacete com um grande par de chifres! Não percebendo uma palavra do que eles diziam mas sabendo que a estavam a elogiar só dizia “thank you, thank you, thank you” O resultado? Ainda não estávamos de regresso a casa e já falava de como ia ser no próximo ano! É ou não o máximo ter uma mãe tão fixe?

 

Acredita que li esta história com um enorme sorriso, primeiro, por teres uma mãe tão aventureira aos 85 anos, e depois, por ver o amor que sentes por ela aqui relatado de forma comovente. Realmente a última imagem deve ser algo que fica na memória! Para o ano já sabes, concentração novamente, mas com cuidado, que as motas são um perigo, ou melhor, quem as utiliza!

Obrigada por esta bela e ternurenta partilha.

mentirinhas_194.jpg

 

Nota: Fico sempre feliz cada vez que me lembro desta frase: "preocupada com a sanidade mental de quem perde tempo a ler as minhas baboseiras", uma vez que eu leio, preocupas-te comigo, tão querida! Ahahah

One Smile a Day com.. a Cláudia

Espero que o feriado tenha corrido pelo melhor, o meu foi ótimo. Para terminar a semana em beleza, nada melhor que convidar a Cláudia, autora do blog "Eu também tenho um blog..." A Cláudia tem o blog desde 2011, mas só há relativamente pouco tempo o descobri. Eu encaro este blog quase como um diário. A autora vai registando os principais acontecimentos pelos quais tem passado: conquistas e alegrias, mas também tristezas e dificuldades. No fundo, temos a vida tal como ela é! 

Quanto à Cláudia, é uma simpatia, é uma relação que tem crescido com o tempo e admito que já não passo sem a visitar. Está sempre disponível para um conselho, para um sorriso e também para um ralhete quando necessário. Visitem que vão gostar.

 

Nunca pensei que fosse escolhida para escrever aqui no blog da Ana.

Mesmo assim, não fosse o diabo tecê-las, desde que vi estas histórias todas as Sextas perguntei a mim mesma: "Se eu fosse escolhida, que história contaria? Nenhuma pois. Não tenho nada para contar"

A verdade é que nunca tinha chegado a conclusão nenhuma. Mas assim que vi um comentário da Ana a dizer "tens um email" pensei logo "Ai Jesus, já foste". 

Mas com calma e mais que naturalmente as coisas foram saindo... =)

Para fazer sentido, tenho que começar por dizer que tenho uma hamster. 

Hamster essa denominada por mim como Rata.

Ela tem nome, é verdade, mas morro de vergonha dele. É que a dita chama-se Cláudinha e para os mais distraídos, o meu nome é...... Cláudia =P

O nome dela foi dado pelo meu namorado que, engraçadinho, pouco tempo depois de a termos, disse que ela passava a vida a comer e a arrumar a casa. Tinha mesmo que se chamar Cláudinha =P

Ora voltando ao que interessa, ela neste momento encontra-se aqui comigo na casa dos meus pais.

Estava eu, a minha mãe e o meu pai em casa e nos entre tantos chega a madrinha de baptismo da minha irmã que tem assim um medo normal de ratinhos.

Mas mesmo assim, sempre que chega cá a casa ou me apanha na rua pergunta pela minha menina =)

Estou muito bem no meu quarto e visto que a madrinha tinha acabado de entrar cá em casa, decidi pegar na Rata e ir até ao pé dela para ela a ver.

Do nada, entre os medos todos pergunta-me:

Madrinha: O que ela tem na patinha?

Eu: Oi? Qual patinha? E meia abananada começo a ver as patas da bicha.

Madrinha: Ali! Olha! Coitadinha. Está aleijada?

Eu: Oh Deus, mas é o quê o pelo? Está normal, acho eu! Mas que raio está a ver de diferente?

Madrinha: Ai Cláudia, mas não vês que tem uma pata mais curta?

Eu já às cambalhotas com a Rata: Ai mas qual pata? Ai a sério, está-me a dar baile??

Madrinha: Ah esquece filha. É só o rabinho dela =P

Ora eu parto-me a rir, a madrinha parte-se a rir, a minha mãe que assistiu a tudo está quase no chão a rir e é isto que tenho que aturar =P

Agradeço mais uma vez à Ana pela oportunidade =)

Fico-te eternamente agradecida =) 

E continua com o excelente blog que tens e com as tuas artimanhas que tanto me animam =)"

Em primeiro lugar, não há nada para agradecer, afinal são as vossas histórias que dão outro colorido ao meu blog, e esta história, está demais. O que eu me fartei de rir ao imaginar a peripécia, a hamster ás voltas e voltas nas tuas mãos, acho que a banda desenhada se enquadra na perfeição!

Muito obrigada!

mhdm_71-copy.jpg

One Smile a Day com.. a Vanessa

O próximo One Smile a Day, por sugestão do Lápis, seria da pessoa que apresentasse a melhor oferta. Carros de luxo e habitações com vista para o mar tinham obviamente prioridade. A Vanessa chegou-se à frente e ofereceu-me várias coisas, mas, quando falou em presunto.. Conquistou-me!

Sendo assim, a convidada de hoje é a Vanessa, autora do blog Fifty Shades of Vanessa Paquete. A Vanessa é uma pessoa que vive a vida intensamente. Adora fotografia e no seu blog poderemos encontrar alguns trabalhos que ajudou a construir. Teimosa e determinada, simpática e acima de tudo, amiga. Troquei muitos sorrisos e histórias com ela, e apesar de dizer que é difícil de aturar, para mim é um doce. Passem pelo espaço dela para a ficarem a conhecer.

 

Já estava a Ana a pensar que aquela " gajita do norte " se havia esquecido do seu convite, mas não!

Ora, ora para começar é uma honra estar nesta rubrica... também já vi que a Anocas é como os políticos pois subornei-a com um "presunto", portanto, se quiserem participar no One Smile A Day vão já pensando na lei do feudalismo...

Bom, vamos lá! Muito obrigado Ana por me deixares participar no teu Blog que tanta adesão possui e que tantas pessoas faz feliz no seu dia-a-dia...eh pá, esqueci-me que a Ana avisou-me para eu ser sucinta e não fazer tipo " elogio fúnebre, salvo seja, ou brinde de casamento " he he he he ...

 

Ora sendo eu uma "mulher do Norte", embora a viver em Lisboa vou falar do quê? Comida, claro está ! A estória tinha de englobar comida!

Tinha eu uns 8 anos de idade, e, à boa maneira nortenha, passávamos nós todos os nossos fins de semana de Verão com a família toda - que continha para aí uns vinte elementos - na praia ou à beira rio etcetera...

Levava-se o garrafão, as garrafas de vinho, o whisky, tachos fogareiro, fogão (que isto de se ir para a praia no norte, vai-se, mas com todos os confortos de casa) e uma série de comida já preparada para ser cozinhada desde manhãzinha. Quem disse que lá por se estar na praia não se pode comer feijoada, rojões à Minhota, arroz de cabidela e afins? Ora nós éramos esse género de família com uma série de gaiatos...

Um belo Domingo fomos para Esposende (local conhecido pelas suas enchentes repentinas), depois de duas horas a montar a casa toda e já com as mulheres da família preparadas para começar a fazer a "feijoada", nós fomos a banhos, de manhã que a feijoada ao almoço só nos permitia ir a banhos ás 17 horas da tarde.

Comida a feijoada, bebido o vinho e o whisky e já com todos a roncar e a fazer a "siesta" não é que naquele belo Domingo a maré começa a subir em Esposende? Ora acordamos todos já meio atolados em lama e  com a típica algazarra da malta do Norte.

Eu - que até sou meia desenrascada e aos 8 anos de idade já o era - peguei nos meus meios primos e meios irmãos, livrei-os dos carros que os atufalhavam e subimos para o tejadilho (note-se que calculei que aguentava bem connosco)!

De repente grita-me a minha tia " Saiam daí seus fedelhos que o primeiro a salvar-se é a feijoada e o vinho "... Ora lá fomos nós para a lama, já a afundarmo-nos até aos joelhos, com a enchente cada vez mais a subir e a olhar para a comidinha sã e salva...

Chamados os bombeiros lá nos tiraram eles daquela confusão e no final parece que  minha tia talvez tivesse razão: é que a paga aos bombeiros foi o dito resto da "feijoada, o vinho e o whisky" ! Esta é daquelas estórias que dá jeito perguntar : " o que salvariam vocês primeiro ? "

 

Eu, sinceramente, estou aqui farta de me rir com a situação, a imaginar a tua tia, completamente indignada, a gritar para salvarem a feijoada! A água ou a lama podiam levar tudo, tudo menos a comida!

caco_99-copy1.jpg

Muito obrigada por esta bela partilha!