Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

One Smile a Day com.. a Mãe dos PP's

A minha convidada de hoje na certa vai trazer sarilhos a dobrar. Duvidam? Não o façam! Não fosse ela a Mãe dos PP's, a autora do blog com o mesmo nome A Mãe dos PP's. Este blog surgiu em Agosto do ano passado, com o intuito de nos falar sobre a sua experiência da maternidade em todas as dimensões em que esta existe: componente pessoal, componente comportamental, muito humor... Tem dois meninos com uma diferença aproximada de dois aninhos, estão numa das idades mais engraçadas, em pleno crescimento e o blog é quase um diário, condimentado por uma personalidade fantástica e sempre de sorriso pronto. Não a conhecem? De que estão à espera?

 

Ora bem, não conhecem o pai dos PP´s, mas adianto-vos que temos personalidades e pontos de vista muito diferentes. A bem dizer nós fazemos parte de "os opostos atraem-se".


Eu sou muito brincalhona e ele é todo certinho e dependente das suas rotinas.Eu adoro uma boa palhaçada e como tal, uma boa picardia.
Quando estávamos a preparar o casamento, já eu tinha o vestido escolhido, os sapatinhos, o véu e todas essas coisas que fazem parte de uma noiva.
No entanto, havia um pormenor que eu ainda não tinha escolhido: A liga.


A liga (que a bem dizer acho que não serve para nada) que eu escolhi tinha nada mais, nada menos que um pom pom azul que quando se apertava ou carregava nele tocava a marcha nupcial. Sou uma pessoa que gosta de vestir discretamente, mas pensei que seria bom tirar o noivo do sério um pouquinho. No fundo, eu sabia que se fosse ele a escolher, escolheria algo mais "decente".


Chegado o grande dia, toda eu muito nervosa e levada ao altar pelo meu pai, dei a mão ao noivo e a celebração começou. Sendo católicos praticantes, optámos por celebrar o matrimónio com Missa o que dava para estar sentadinhos a escutar a homilia e as sábias palavras do sacerdote. A meio da celebração ele mete a mão na minha perna e aquilo começa a tocar a marcha nupcial. Na primeira vez ele não disse nada, da segunda vez que aconteceu segreda-me ao ouvido:" mas será um convidado meu ou teu que meteu esta música no telemóvel?" Esforcei-me para não me rir e respondi: "aposto que é convidado teu e que horror toda a gente ouve isto na Missa"


Bem, terminada a cerimónia e seguindo para as fotografias, os comes e bebes lá se passou um dia muito feliz e bonito das nossas vidas.


Há noite (não vou contar os pormenores,descansem) ele ajudou-me a tirar os ganchinhos do cabelo e nisto levo a mão á perna e carrego na liga. Diz-me ele: " Eu devia ter calculado logo que isto era coisa tua, tens que fazer sempre uma malandrice onde for e em que momento for!" Rimos os dois a bom rir e ainda hoje ele diz que eu tenho uns" timings" do caraças para as minhas palhaçadas!


A liga,coitada, já está sem pilhas, mas muito bem guardada.
Espero que tenham gostado.

 

Tenho a certeza que, tal como eu, esboçaram um sorriso e já sabemos a quem é que os PP's saem com forte personalidade e um pouquinho terríveis vá! A culpa é toda da mãe.... e do pai também que também contribuiu!

Muito obrigada por esta bela partilha!

 

mentirinhas_284.jpg

 

One Smile a Day com.. a Diana

A minha convidada de hoje é a Diana, autora do blog A vida de Diana. Até há bem pouco tempo não escrevia com o seu verdadeiro nome, mas decidiu revelar-nos este pequeno segredo. Descreve-se a si própria como: “Quase Trintona, Mau Feitio Colossal. Curiosa, Perfeccionista, Observadora. Humilde e  Feliz.”  Pelo que eu conheço deste blog recente, e do outro que acompanhava, é sempre simpática, tem o dom das palavras, de escrever pequenos textos, mas intensos e repletos de significado. É quase como um diário. Visitem, vão gostar! (O mau feitio colossal nunca se faz notar)

  

Quando disse que, se me convidasses para participar na tua rubrica, já sabia que história contar, nunca imaginei que isso acontecesse no mesmo dia.

Obrigada, desde já, pela tua simpatia diária e pelo teu bilhete de entrada para o teu trabalho no blogue.

Sempre que lia as histórias que publicavas, lembrava-me sempre daquilo que me aconteceu e fartava-me de rir sozinha. Então, passemos ao que interessa.

 

Apesar de ser um relato curto, na altura, deu-me muitas dores de cabeça, literalmente, hahaha.

 

Devia ter uns 12 anos, talvez, andar no sétimo ano, e a minha escola decidiu levar a criançada à piscina pública da terra. Eu não sei nadar mas ia animada na mesma. Provavelmente, seria a primeira vez que lá punha os pés.

Tivemos de ir de autocarro porque, embora o trajecto fosse curto, éramos muitos. Bem, lá fomos nós e passamos a tarde toda dentro de água, a brincar.

Chegou a hora de tomar banho e trocar de roupa. Fomos todos, tudo ao molho e fé em Deus.

No início, tínhamos sido avisados da hora de partida e, como seria de esperar, pequenita que era e sem noção, atrasei-me. Quando me apercebo que já toda a gente estava no autocarro, à espera, fico super aflita, pego nas minhas tralhas e desato a correr.garfieldvidro.jpg

Não sei quem foi a alminha que, quando construiu o edifício das piscinas, decidiu fazer tudo em vidro. Pois, aquilo estava tão limpinho, que não me apercebi. Então imaginem a minha corrida a "100 kms/hora" e um choque massivo contra a porta. Hahahaha.

Só não me esborrachei no chão por sorte e fiquei com uma dor de cabeça que durou horas.

 

Por vezes sou impulsiva, e fiquei tão curiosa com a tua história, que o convite foi logo feito e aceite na hora.  E não podia ter vindo em melhor altura, pois sempre que me lembrava do teu texto, sorria. Acredita que passei a semana em pulgas para o publicar!

 

Muito, muito obrigada. Consigo perceber perfeitamente o teu drama, pois a “minha” piscina também é toda vidrada e por vezes acontecem acidentes.

ga810323.jpg

 

Bom fim de semana! Aproveitem para concorrer ao passatempo aqui. Sem requisitos obrigatórios! 

One Smile a Day com.. a Osa

A minha convidada desta semana é a Osa, autora do blog Blog da Osa. Este é um blog que conta já com 2 anos de existência e, aqui, podemos encontrar de tudo um pouco, mas essencialmente desabafos do dia a dia. Para mim a Osa encerra várias características numa só pessoa: ela é atenciosa e carinhosa, gulosa, nada invejosa nem raivosa, nervosa e ruidosa quanto baste, talentosa até mais não, poderosa, resumindo, ela é fabulosa. Não conseguimos sair do blog dela sem um sorriso, marcada pela sua atitude positiva, pode ser uma inspiração! Já a conhecem?

 

Chic’Ana eu sei que todos (ou quase) dizemos o mesmo, ou parecido, mas acredita que estou tão mas tão feliz por estar a contribuir para esta tua rubrica tão especial. Aiiiii

 

Seria mentira dizer que nunca pensei que um dia viria a ser a tua convidada, porque pensei sim, confesso! Por isso quando vi o convite a minha reacção foi gritar, quem me conhece sabe que quando estou feliz grito. Não queria acreditar!!! Ahhhhhh Que privilégio.

Obrigada, de coração 

 

Há muito tempo atrás, mesmo muito tempo que até parece que já foi noutra vida, o trio de serviço fez mais uma das suas peripécias…e quem é o trio maravilha? Sou eu e duas primas.

Somos tão mas tão chegadas que até nos zangávamos e tudo, mas andávamos sempre juntas.

As idades são separadas por dois anos entre cada uma, sendo que a mais velha tem mais 4 anos que a mais nova. Eu sou a do meio.

Como estávamos sempre juntas, as coisas proporcionavam-se, sendo que alguns episódios eram mais caricatos que outros. Adiante.

 

Num belo domingo, uma de nós estava fechada em casa com dores de dentes, aliás nesse dia já não eram dores, pois a cara estava tão inchada de um lado, que as dores já não eram o problema para estar fechada em casa. As outras duas queriam muito sair, até porque era dia de festa na cidade ( ou ainda seria vila??).

Era o dia da marcha, marcha essa que encerrava as festividades desse ano. Era sempre o ponto alto para as meninas da nossa idade. Podiam “laurear” a pevide com o consentimento dos pais. Pois bem, o que é que faltava? Convencer a que estava trancada em casa a sair. O trio não se podia desfazer, ou saíam as três ou não saía ninguém! (Não sair estava fora de questão)

Voltas e mais voltas lá conseguiram convencer a menina.

E qual foi a solução que se arranjou para esconder a cara inchada?

Foi usar uns óculos de sol.

Até aqui tudo bem!

Só ainda não vos contei é que a marcha realiza-se sempre à noite!

 

E outro facto importante a reter é que naquela altura usavam-se aqueles óculos redondinhos (que agora voltaram à moda). Ou seja, os óculos esconderem algo era quase missão impossível. Mas nós estávamos firmes e saímos felizes e contentes de casa, rumo à festa!

 

De braço dado as três, com a menina dos óculos escuros no meio, lá nos passeamos pelas ruas cheias de gente. As duas que cometeram a loucura desta peripécia iam-se “segurando” ao ouvirem bocas daqui e acolá e olhares estranhos na nossa direcção. Dizíamos: “está tudo bem, ninguém nota!”.

Podem não acreditar mas nós estávamos convencidas disso!!! Ou melhor isto durou até chegarmos a uma rua onde estava um grupo de pessoas sentado numa esplanada… e um deles ao olhar para nós não conseguiu se conter e disse : “Oh Xico, abre o Guarda-Sol que o Sol vem aí” apontando para nós.

 

Aqui já foi impossível de conter por mais Amor que elas tinham umas às outras…foi gargalhadas até mais não!

Aliás ainda hoje, nos rimos tanto mas tanto as três!! Escusado será dizer que a que estava com a cara inchada na altura não achou piada nenhuma! :D "

 

Vêm como eu digo que ela é ruidosa? Então eu convido-a e a primeira reação que tem é gritar? Ahahahah

Muito obrigada minha querida por esta bela história. O prazer de partilhar as vossas aventuras é todo meu. Obrigada pelo privilégio!

 

Quando começei a ler a história ainda pensei que ela fosse dar um valente trambolhão, vá lá, foi mais soft! 

GATO-CEGO.png

 

One Smile a Day com.. a Manuela

A minha convidada de hoje é a Manuela, autora do blog Existe um Olhar. Neste blog podemos encontrar imagens lindíssimas e inspiradoras, sempre acompanhadas de uma citação ou poema. É um blog que existe desde 2009 e que nos permite viajar através do olhar da Manu. As suas grandes paixões são as artes: pintura, música e literatura. Além de ter uma atração especial por viajar e obviamente fotografar. Convido-vos a viajar com ela e a espreitarem o seu blog.

 

Concerteza que já te apercebeste que tenho viajado bastante, com um guia excepcional e um grupo que já conheço. Em Setembro fui ao Nepal, ao Butão, Tibete e Himalaias, neste último lugar ao descer uma montanha bastante inclinada parti um braço, felizmente já tudo passou, bom, mas o que importa é contar-te uma das muitas histórias hilariantes.

Há uns tempos atrás vinha da Malásia, fizemos escala em Amesterdão, onde estivemos algumas horas à espera do avião que nos traria a Lisboa.

Normalmente bebo sempre vinho nas refeições dos aviões, nessa vez, coloquei o que sobrou na mochila.
Finalmente chegou a hora de fazer check in, às 7 h e 30m da manhã.


Estava muita gente nas filas e quando chegou a minha vez e coloquei a mochila no tapete, o senhor abriu-a  e com as pontinhas dos dedos, disse:
Com que então já a beber a esta hora da manhã?! ( falou em inglês e toda a gente riu)


Não sabia onde me devia meter e tentei justificar-me, mas ele nem me deu tempo de o fazer, o que ele queria na verdade foi brincar comigo. Fiquei super envergonhada e hoje tenho o cuidado de nunca mais pôr vinho na mochila.

 

Sem dúvida uma história muito engraçada. Bom, da próxima vez justificas o transporte do vinho, para manteres a temperatura ambiente. No porão as temperaturas negativas com certeza que o adulteravam! =)

 

Muito, muito obrigada por esta bela participação.

 

radicci4.jpg

E por falar em participação, já concorreram a este passatempo

One Smile a Day com.. o HD

O convidado desta semana é o HD, autor do blog Hetero Doméstico. Ele descreve o seu próprio espaço como "Tudo o que não precisas de saber sobre decadência doméstica e opinião pública degradante", e eu acrescentaria, tudo o que não precisamos de saber, mas que queremos sempre saber! O Hetero faz uma pesquisa de várias notícias e escolhe sempre as mais insólitas, algo que nunca pensaríamos existir, mas de facto existe! Curiosos? Passem por lá e espreitem, serão muito bem recebidos.

 

Há 2 tipos de casamentos. O de familiares e o de amigos, cujos familiares são autênticos estranhos e a interação após o copo de água pode promover algumas situações hilariantes ou, no pior dos casos, um momento de desconforto… vitalício!

 

                Foi o casamento de um amigo de longa data. Já não tem longos cabelos, já não tem aquele sorriso fácil, mas tem uma esposa afável!
                A cerimónia decorreu com a naturalidade habitual, à exceção da birra de um menino que não parava de perguntar quando é que o padre iria distribuir as batatas fritas brancas.

                A noiva estava impaciente por tirar fotografias com os convidados, pois já se tinha apercebido que os amigos do lado do marido – incluindo o responsável por este conto de fadas- já estavam a destilar todo o álcool disponível na entrada da quinta!

                A comida também estava maravilhosa, a julgar pelos botões das camisas que iam sendo disparados ao longo da refeição e pelos conjuntos da tupperware que estavam empilhados atrás das tias da noiva…

                Lembro-me de tentar ir à casa de banho e regressar prontamente. Julgamos que havia algum entupimento nos esgotos, mas entretanto apercebemo-nos que não havia qualquer problema na canalização, pois o ‘Tio Tó’ fazia abanar as cortinas mesmo com a janela fechada!

                Finalmente, o bailarico. Havia um senhor febril de nome impossível de pronunciar, que dançou com várias senhoras de idade, com um empregado de bigode e com o vaso da palmeira que tinha as fotos dos convidados.

                O Miguel comentou com a noiva que o senhor febril, que já tinha a gravata na testa, estava a dar umshow de vinhobola. Ela respondeu que não estava incomodada:
                - É o meu casamento, eu tolero tudo o que possa acontecer.
                Além disso, é perfeitamente normal. É o meu pai!

 

Realmente tudo o que envolve casamentos, tem sempre alguma peripécia hilariante para ser recordada! E tu aqui, tens vários episódios num só, que me fizeram sorrir a cada frase.

Muito obrigada por esta bela partilha.

 

mentirinhas_510.jpg

Já todos concorreram? Não? Aproveitem o fim de semana!

One Smile a Day com.. a Fénix

Esta semana a minha convidada é a Fénix, autora do blog À procura de mim. A Fénix é uma pessoa muito comunicativa, simpática e sempre com uma palavra amiga. O blog é uma espécie de diário, onde relata os acontecimentos mais marcantes do dia.

Divorciada, conseguiu dar a volta por cima e hoje encara a vida com um grande sorriso. Uma vida a 3 – ela, o filhote e o cão, pois claro! Uma mulher de armas, que eu admiro por toda a garra e determinação. Não a conhecem? De que estão à espera? 

Isto passou-se durante a minha lua de mel em Lisboa (estou divorciada mas recordo os bons momentos).

 

Ambos benfiquistas escolhemos uma tarde para visitar o Estádio da Luz mas, como bons portugueses, quando chegámos já estava a decorrer a última visita.

 

Nisto vimos um senhor sair, a porta ia-se fechando lentamente e conseguimos entrar para o memorial do Feher, fotografámos, vimos tudo bem visto. Quando tentámos abrir a porta e o raio da porta não se abria, eu comecei logo a entrar em pânico, já me estava a ver ser levada para alguma esquadra da policia.

Nisto fez-se luz, estava um botão... bem, ou era a campainha e íamos a passar a maior vergonha das nossas vidas, ou era para abrir como as portas dos bancos.

Nisto abre-se e parecíamos duas criancinhas todas contentes a fugir dali antes que alguém aparecesse.

 

O que eu me diverti a ler este testemunho. Só os consigo imaginar às voltas, em pânico, fechados com uma estátua e as noticias no dia seguinte: “casal de noivos, em lua de Mel,  encontrados a dormir junto ao memorial de Feher”.

 

Obrigada por esta bela partilha.. E já sabes, vir á capital sim, mas não fiques trancada por aí!

mentirinhas_610.jpg

 

One Smile a Day com.. a Kat

A minha convidada desta semana é a Kat, autora do blog O Blog da Kat. Aqui podemos encontrar diariamente um look com as peças identificadas por loja e preço. Mas nem só de roupa e moda se faz este blog. Conta peripécias do dia a dia, momentos pessoais marcantes, casas e viagens de sonho, e, para além de tudo isto tem a Kat – pessoa extremamente simpática que nos acolhe sempre de sorriso no rosto, desde que calcemos as pantufas à entrada! Vale a pena conhecer o blog e a autora, venham daí!

 

Estava eu para ir passar uns dias a casa dos meus pais, quando percebi que tinha no frigorífico uns iogurtes a acabarem o prazo.

 

Peguei na geleira, que já não era usada há algum tempo, e achei bem dar-lhe uma lavadela.

Água para dentro, detergente da loiça, e eis senão quando tenho uma ideia “brilhante”: A geleira é uma coisa estanque, certo? Para a comida ficar fresquinha, deve ser!

 

Então toca de lhe colocar a tampa, fechar, e virá-la de pernas para o ar para agitar.

 

Pois, só que não. A geleira não é estanque!

Água no chão, água na Kat, água na cozinha toda...

Correu bem...

 

Mas deixem lá, ao menos a geleira ficou limpinha, eu também (com 2 banhos em menos de 1 hora), e os iogurtes lá chegaram inteiros ao destino.

 

Já agora, devo ser das poucas pessoas a levar comida para casa da mãe, não devo?

Normalmente a geleira vem cheia mas é em sentido inverso, cheia de comidinha da boa, croquetes e afins ;)

 

Confesso que eu era menina para fazer o mesmo, portanto, ainda bem que contas tal episódio porque já aprendi uma lição muito, muito importante.

 

Assim que vi esta BD achei o máximo, neste caso não foi tão crítico como um incêndio, mas sim uma inundação!

Obrigada por esta bela partilha, acredita que a li com um sorriso do princípio ao fim!

 

fc_jantar.jpg

 

One Smile a Day com.. a Ana

A minha convidada desta semana é a Ana, autora do blog Receitas fáceis, rápidas e saborosas!. A Ana tem um dos blogs de culinária mais visitados atualmente, apostando em receitas muito acessíveis e sempre com uma imagem capaz de nos deixar de água na boca. Já encontrei por lá muitas iguarias e sempre deliciosas. A Ana é mãe, esposa e adora cozinhar. Tem uma personalidade que cativa, sempre com um sorriso fácil e disposta a ajudar. Querem sugestões de refeições? Doces ou salgados? Pois têm aqui o lugar certo. E como a Ana é muito mais do que a culinária, convido-vos a conhecerem-na um pouquinho melhor.
Um dia a minha mãe foi para o hospital para fazer uma operação de alto risco e uns dias antes desabafou comigo que gostava muito de ter uma Santa Rita com ela, para a proteger e eu pensei em oferecer-lhe um daqueles cartõezinhos que tem o santo e a oração pertencente. Corri tudo mas nada de encontrar o que procurava e já andava desanimada quando no café me disseram "olha isso que tu procuras, só encontras na funerária... " What? Será que ouvi bem?
"Não aí é que eu não entro.." Mas a vontade de fazer a vontade à mãe foi maior e lá fui num sábado perto da uma hora da tarde à funerária...
 
Quando lá cheguei estava fechada... Já estava para me vir embora quando vejo um senhor todo vestido de negro e presumindo que não era do MIB (man in black, o filme) pensei, se calhar é da funerária.
 
- Boa tarde, desculpe o senhor é da funerária?
- Sim porque?
- Sabe é que eu queria... e expliquei o que queria.
O Sr. num passo pesado e vagaroso la abriu a funerária pousou as coisas dele no balcão e foi procurar o que eu lhe tinha pedido.
 
Minutos depois da compra feita despeço-me e agradeço e rumo a casa (a pé... deu -me para ali nesse dia).
 
Quando chego a casa meto a chave à porta e a chave não roda na fechadura. Tento mais uma vez e outra até que olho para a chave e nesse momento senti um raio a subir por mim acima! Aquelas não eram as minhas chaves! Eu tinha trazido as chaves da funerária!!
 
Nervosa e ansiosa e a passo de corrida voo em direcção a funerária, e, quando lá chego, vejo a funerária revirada ao contrário com um homem vestido de preto e chateado a revirar tudo a procura das chaves para fechar a loja.
 
Desculpo-me ao homem, dou-lhe as chaves, as minhas estavam em cima do balcão onde as tinha deixado, saio a pedir desculpa novamente perante o ar de chateado do homem e juro nunca mais voltar a não ser que seja obrigada, não sei se me entendem.
 
O que eu me fartei de rir Ana, foi sem dúvida por uma boa ação que foste à funerária.. Mas ficar com as chaves da mesma é realmente assustador.
 
Muito obrigada por esta história tão divertida e muitos parabéns por todo o teu percurso! Que continues assim, com sucesso por muitos e muitos anos!
 

Funerária.jpg

One Smile a Day com.. a Filipa

A minha convidada de hoje, sexta-feira 13 é a Filipa, autora do blog A girls life. A Filipa tem 24 anos e vive em terras bem quentinhas: No Algarve. Formada em Turismo, adora tudo o que seja livros, filmes, séries e queijos. Não consegue manter os pés quietos um segundo que seja e gosta imenso de fotografia. O blog surgiu do gosto pela escrita e é essencialmente um diário, onde regista os momentos mais marcantes pelos quais passou. Conheçam um pouquinho mais da Filipa, façam-lhe uma visita, serão muito bem recebidos com um amplo sorriso.

 

Antes de mais, muito obrigada por este convite chic! É uma honra estar a participar nesta rubrica no teu cantinho que acompanho com muito carinho!

 

Em relação à minha história.. Eu sei que a época natalícia já passou, mas o episódio que eu vou contar passou-se no Natal, há muitos anos atrás!

Rondava o ano de 2000 e poucos, devia ter os meus oito anos. Desde pequenina que no dia 25 de manhã é tradição visitar-mos os meus tios para fazer troca de presentes. Como habitualmente, a minha tia entregou-me o meu presente e eu sentei-me e comecei a desembrulhá-lo.

 

Passado um pouco a minha tia vê-me a cochichar com a minha mãe e pergunta-me "precisas de ajuda a abrir?" ao que eu respondo muito rapidamente "Não. É que eu não gosto.."

 

Escusado será dizer que a minha tia ficou um pouco triste, mas mais fiquei eu..que recebi um nécessaire axadrezado com 8 anos..

 

Não podia ter escolhido melhor convidada. Já que a sexta-feira 13 está associada ao azar, nada melhor que uma prenda azarada! Com 8 anos as crianças querem brinquedos e não um necessáire xadrez..

 

Mas.. vamos acreditar que a prenda veio trocada, com consequências menos nefastas que na imagem!

mentirinhas_673.jpg

 Bom, e o resultado do passatempo sai em breve!

One Smile a Day com.. a Fia

E o que voltou com o início do ano? A rubrica que promete colocar um sorriso no nosso rosto.

A convidada desta semana é a Fia, autora do blog O cantinho da Fia. A Fia é natural da suíça, com nacionalidade portuguesa e com atual residência na Bélgica. Toda esta experiência de vida só podia resultar num blog rico em diversidade. Desde culinária, a exercício, desde locais marcantes a moda e beleza, podemos encontrar aqui de tudo um pouco. Para além de todos estes temas interessantes, a personalidade da autora é algo que se destaca: sempre simpática e com um sorriso pronto, promete receber-nos sempre de braços abertos. Passem por lá!

 

Confesso que até fiquei emocionada quando recebi o convite da Chic’Ana para participar na rubrica One Smile a Day e foi com muito entusiasmo que o aceitei. Adoro esta rubrica, assim como qualquer peripécia contada pela Chic’Ana. Já lhe disse que ler o blog dela logo pela manhã é como receber um boost de energia.

 

Logo após aceitar o convite comecei a pensar na melhor peripécia para vos contar. Inicialmente fiquei bloqueada e não me conseguia lembrar de nada, mas passados alguns segundos comecei a lembrar-me de muitas e o difícil foi mesmo decidir qual partilhar.

 

Decidi então partilhar uma história que simboliza a inocência das crianças, neste caso a minha inocência. Ter irmãos é maravilhoso e quem os tem sabe disso, mas nem sempre a relação é um mar de rosas. Eu e a minha irmã mais velha somos um bom exemplo disso: andávamos sempre zangadas quando éramos mais novas, mas ao mesmo tempo éramos inseparáveis. A minha mana estava sempre com a mão pronta para me dar tautau, com ou sem razões para tal. Até que chegou o dia em que eu muito chateada com a situação virei-me para a minha mana, muito segura de mim, com o dedo indicador apontado para ela e disse-lhe assim:

Fia: Um dia, quando eu for mais velha do que tu e tu mais nova do que eu também te vou dar tautau e vais ver que não é bom.

 

Ainda hoje em dia a minha teoria é motivo de risota para toda a família. Uma coisa lhes garanto, os anos foram passando e eu nunca consegui ser mais velha do que a minha irmã mais velha :p Estranho, não acham?

 

Mais uma vez quero agradecer à Chic’Ana pelo convite. É um privilégio partilhar uma das minhas peripécias aqui no teu blog.

 

À Chic’Ana e a todos os que por aqui passarem desejo um 2017 muito feliz!

 

Muito obrigada Fia, pelas tuas palavras e acima de tudo por esta bela partilha. Realmente a inocência das crianças é algo extraordinário e tenho a certeza que vais despertar muitos sorrisos - pelo menos o meu já o tens!

 

Eu acho que eras menina para ter o discurso abaixo, assim que vi a banda desenhada lembrei-me logo de ti e desta história!

mentirinhas_540b.jpg