Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

O que ficou do casamento..

Quando se vai a um casamento, assistimos a uma grande variedade de comportamentos. Comportamentos esses que aprovamos, outros que nos fazem alguma confusão, outros que repudiamos por completo.

 

- Crianças que ao invés de se comportarem como tal: brincarem com as outras, brincarem com os jogos tradicionais e didáticos existentes no recinto, correrem, sujarem-se, porque faz parte, e ninguém leva a mal, não. Os pais trazem os tablets e telemóveis dos pimpolhos (desde bebés a adolescentes)… um powerbank não chega, pois a bateria termina rapidamente e podem não existir tomadas por perto… As crianças olham para os powerbanks como se de um tesouro precioso se tratasse…! Não, ainda não estou habituada a este comportamento e acho que me vai custar muito aceitar esta nova realidade…

- As mochilas ao invés de jogos, brinquedos, bonecas, transportam cabos, baterias, material elétrico;

- Se convidas uma criança para brincar ou dançar, ela revira os olhos e manda-te a ti fazer figurinhas na pista;

 

Compreendo que em casa as crianças brinquem sozinhas e que por vezes é difícil cair em tentação e enveredar por estes novos brinquedos, contudo, quando estão em contacto com as outras, é mesmo isto que deve ser privilegiado e mesmo incentivado. Faz parte do crescimento o contacto humano, as primeiras discussões, as contrariedades, as birras, as quedas…

 

E depois no meio de isto tudo, como se fosse um raio de luz, reparas numa criança completamente diferente de todas as outras: Deliras, quando és atropelado por um carrinho de bonecas, ouves um “Desculpe!” e uma correria continuada como se não houvesse amanhã!

 

mentirinhas_343.jpg

 

Fui convidada pelo Delito de Opinião para escrever um texto à minha escolha, curiosamente vai ao encontro do tema de hoje: As crianças! Neste texto abordo principalmente a hiperatividade e os problemas com que nos deparamos. O meu sincero obrigada pelo convite. Não deixem de espreitar, aqui! Mais uma portinha que se abre para a minha vida =)

 

Hoje estou também com a Mãe dos PP's, a dar-lhe música.. conseguem adivinhar qual a música que me faz ficar no carro? Ora ide lá espreitar! 

 

Quando é que o baile termina?

Há quem diga que o baile de casamento termina quando a noiva dá por encerrada a noite. Há quem diga que é quando não existe ninguém na pista e só restam alguns mirones nas mesas, um aqui, outro ali, que quer ser o último a abandonar o salão, mesmo que seja a dormir ou arrastado.. Ou então, quando chega à hora limite do DJ ou dos artistas, mesmo que sejam 23h.

 

No meu caso não, a meu ver o baile termina, quando estás calçada com uns sapatos resistentes, espetas um vidro no dedo do pé, continuas a dançar a pensar que é um espinho e, quando percebes finalmente que tens de parar, já tens o dedo ensopado em sangue…

 

O mais insólito da situação: Era das poucas pessoas a dançar com os sapatos calçados, todos as outras estavam descalças e não havia nenhum mar de sangue na pista! Realmente o karma é tramado!

 

mhdm_52-copy.jpg

 

A pergunta essencial quando se come fora

Tenho um grupinho de amigos que volta e meia combina almoços e jantares aos fins de semana, mas em casa uns dos outros, para ser mais económico e estarmos mais à vontade. Um casal desses amigos tinha comprado casa há pouco tempo e era altura de a estrearmos.

 

Foi um dia muito bem passado, em excelente companhia, mas no dia seguinte estava com uma dor de barriga tão grande que mal me conseguia afastar da casa de banho.. Telefonei para alguns para saber se estavam iguais, e nada, só eu tinha ficado assim. Perguntei-lhe com que ingredientes tinha cozinhado, e eram mais que meus conhecidos, nada de anormal, nada de intolerâncias.. Bom, o caso passou.

 

Passados 3  ou 4 meses, calhou o almoço ser novamente em casa deles e lá vamos nós em romaria.. Dia bem passado, dia seguinte estava novamente mal da barriga, mas que coisa mais esquisita.. Refeições diferentes, ingredientes mais do que normais.. a água que os abastece é do mesmo local que a minha, mas alguma coisa tinha que se passar!

 

À terceira, e já cheia de receio, vou mais cedo para a “ajudar” a  fazer o almoço, no fundo, era para controlar o que se passava, eu já estava por tudo, querem ver que ela envenena a minha comida e eu não sei!?

Começámos a preparar o almoço, quando ela tira a Bimby do armário…

 

Chic’ Ana: Que vais fazer com isso?

Amiga: Tudo!

Chic’ Ana: Tudo, como tudo?!

Amiga: Então, sopa, sumos e os pratos principais… A sobremesa não, essa eu faço à parte.. Mas isto é uma rapidez, vais ficar maravilhada!

 

Fiquei a matutar na utilização da bimby e sempre atenta ao processo de elaboração alimentar… Pois é, caros amigos, então não é que aqui a Ana tem uma intolerância alimentar à bimby?! Terceira vez, terceiro caso… E se fiquei por aqui?! Não! Houve outra amiga que comprou uma bimby, convidou-me para almoçar e no dia seguinte, bem dito, bem feito! Casa de banho novamente…

 

Mas que intolerância estranha é esta!? Afinal como são processados os alimentos?

 

Fora isso, agora é sempre assim:

Amigos: Ana, queres vir almoçar?

Chic' Ana: É com bimby ou sem bimby?!

 

Ridículo, completamente.. há mais alguém semelhante!?

 

24-06-15-cozinha-muito-prc3a1tica-webjpg.jpg

 

One smile a day... com a T

A minha convidada desta semana é a T, autora do blog Depois dos 30. O blog dela é tal e qual um diário, tem como frase motivacional, tornar os 30 os melhores anos da vida dela, e eu penso que o está a conseguir.. Pelo menos as maiores mudanças estão a acontecer sem qualquer dúvida! Tem sido um prazer para mim partilhar a gravidez com ela, mas não, não pensem que somos uma chatinhas sempre a queixar-nos e a querer ser cada uma "pior" que a outra. Não, a nossa dinâmica é muito diferente. São mais as vezes em que partilhamos conhecimento (palermices) que outra coisa, e a maior parte das conversas são terminadas com um amplo sorriso! A boa disposição e a simpatia são características muito vincadas na sua personalidade, é de muito fácil trato, e é um instante até lhe chegarem ao coração! Se ainda não a conhecem, está na hora de o fazerem, garanto que não se arrependem! 

Olá!

Antes de começar quero agradecer muito à Chicana não só pelo convite, mas também pela amizade! Nunca pensei engravidar e ter uma amiga sempre do meu lado a passar pelo mesmo!  Acreditem ela tem uma paciência que merece um prémio!!! Merece apenas o melhor!!!

Vamos lá então!!!

De peripécias, quem me segue sabe que a minha vida está repleta delas, escolher uma fica difícil, então ficou mais fácil lembrar-me de algo muito antigo, uma histórias das primeiras que me lembro, que realmente me fez rir e que me faz rir muito agora só de me lembrar da cara da minha mãe!

 

Devia eu ter uns 4 anos, o pátio lá de casa ainda tinha relva e uma árvore que serviu para um belo baloiço feito pelo pai que era diversão do verão! Os vizinhos vinham andar de baloiço, era uma festa!

 

Certo dia ao pé do baloiço, apareceu uma cabrinha!!!! Era tão linda, toda branquinha um mimo! Mesmo dando marradinhas, fazia as delicias de quem ia para lá e ainda “aparava” a relva!

 

Um dia ao sair para a rua com o olho no baloiço, olho para a cabrinha que andava toda animada a comer a árvore, e vejo na parte de cimento um monte de bolinhas pretas!

Tanta bolinha para brincar! Eram tão giras!!!!!

Enchi toda contente e orgulhosa uma mão de bolinhas, desatei a correr ter com minha mãe: oh mãe olha, olha que lindas!!!”

Ao que a minha mãe assustada gritou: “Isso é cocó de cabraaaaa!!!! Mete isso para o chão!!!!” E do nada vem outro grito: ”Não é aqui no chão da cozinha!!!!!!! O cocó é para a rua!!!!! (fui então apanhar o cocó!!!) não é com as mãos T. é com uma vassoura!!!!! (pego na vassoura e…) Não é a vassoura de casa é a da rua!!!”

 

Escusado seria dizer que o meu pai só se ria…e que foi ele que acabou por apanhar o cocó!!!

Eu…fiquei triste, pensei que tinha ganho mais um brinquedo e era apenas…cocó!! (que criança…contentava-me com pouco lol)

 

Agora só espero que o meu bebé venha um pouco mais inteligente que a mãe!!! Hehehe

 

Espero que tenham gostado de mais uma “maravilhas” da historia da minha vida!

Beijinho grande a todos!

 

Ahahah, pronto, na apresentação esqueci-me de referir os seus gostos estranhos, mas também não posso revelar tudo, não é? O que eu me fartei de rir ao imaginar a cara da mãe dela... Sim, ela deve ter sido fresca, deve!

calvinharodotira354.gif

 (Mas a mãe arriscou)

475908.jpg

 

E o vencedor do passatempo Presentinhos da Susy:

untitled (2).bmp

 

Muitos parabéns!

Lanche

Eu adoro comer e, com a gravidez, o meu apetite ao lanche duplicou (muito por culpa dos enjoos que milagrosamente passavam ao lanche).

 

Ao pequeno almoço mantenho a alimentação anterior, ao almoço e jantar sou supervisionada, ou pelo M, ou por uma mãe com olhos de falcão que só me deixa comer comidinha saudável: sempre sopa, prato principal acompanhado por uma dose generosa de salada e para terminar, fruta.

No período da tarde, para além do trabalho, o meu pensamento viaja sempre para algumas iguarias: ou uma sandes de requeijão / queijo fresco, ou um cachorro quente, ou umas torradas, chego a casa de tal forma faminta que sou capaz de devorar qualquer coisa que me apareça à frente.

 

M (depois de uma investida ao frigorífico): Tu qualquer dia rebolas, já chega, agora vai comer fruta!

Chic' Ana: Mas eu ainda tenho fome... 

M: Já falámos sobre isso, tens de te controlar!

 

Passados alguns minutos surge, muito oportunamente, uma urgência qualquer em casa dos meus pais, e eu, como boa filha que sou, vou a correr... para o frigorífico deles!

 

Como as urgências têm surgido em número elevado nos últimos tempos, e para não levantar suspeitas de que ando a lanchar duas vezes, vou alternando a qual das casas vou primeiro...  Sou só eu que acho este comportamento mais que normal? Há mais alguém assim? 

Pelo menos compreendem-me?

 

0903770887b4f7e96fe20e95c6256b81.gif

 

E termina hoje a possibilidade de ganharem umas fantásticas bolachinhas, já participaram?

Uma pergunta indiscreta

E como de vírus não se faz um blog... Vamos falar de coisas bem mais engraçadas! 

 

Antes de vos contar o episódio que se segue, quero que imaginem o meu pai. É capaz de ser uma das pessoas mais sérias da família, sempre com uma postura direitinha e exemplar. Sempre muito educado e solícito. Sempre disponível para resolver qualquer problema porque pura e simplesmente conhece toda a gente.

 

Ao fim de semana, ao domingo, é dia de feira. É daquelas feiras onde se vende de tudo, especialmente produtos hortícolas para plantar ou semear, químicos para efetuar tratamentos às plantações, animais e tudo o que tenha a ver com móveis / decoração, cortinados, roupas de cama, etc.

 

Num belo domingo, os meus pais precisavam de comprar uns cortinados, mas uns cortinados daqueles branquinhos, bordados, com diversos motivos, que ficam bem nas casas mais rústicas. Não são fáceis de encontrar, portanto, vamos os 4 em peregrinação à feira. A minha mãe lá encontra a banquinha dos cortinados, formamos um círculo em volta da senhora de idade que nos mostra os vários modelos e às tantas há algo que me distrai a mim e ao meu pai e deixámos de prestar atenção ao discurso…

 

Mãe: Olhe, eu gosto bastante destes com motivos florais.
Senhora: Estes são dos mais bonitos, tem como motivo um vaso recortado ao meio, com flores. É muito tradicional e pitoresco.
Mãe (vira-se para o meu pai): Vê lá se gostas destes, são mesmo muito bonitos.
Pai (com o ar mais sério que existe a olhar para a senhora): Como disse? Com um rabo cortado ao meio?!

 

Depois do instante de choque inicial, foi uma risota completa.. Porque ele estava mesmo convicto do que estava a perguntar. Como é que alguém no seu perfeito juízo faz uma pergunta destas!?!? Um cortinado com um rabo cortado ao meio?! Ahahahah.

 

A vergonha foi tanta que ele não quis lá voltar!

AAEAAQAAAAAAAAlYAAAAJDc3N2E5OGRiLTIwZTItNGM3Yi05NDQxLWUzYzJiNjQ3ZmY5Yg.png

RansomWare

Sexta-feira foi um dia em que todos nós queríamos ter tido direito a tolerância de ponto... E eu acabei por ter, da parte da tarde, só que forçada! (Nunca ouviram a expressão "Careful What You Wish For"? Pois eu aprendi a lição!)

 

Estes últimos dias foram marcados pela visita do Papa, pelo Benfica ter ganho mais um campeonato e por termos feito História ao ganhar o Festival da Eurovisão (parabéns Salvador, Luísa e todos os outros que contribuíram para esta possibilidade). Só que os acontecimentos não ficaram por aqui, não...

 

Os dias foram marcados também por um ciber-ataque, em 150 países que fez mais de 200 mil vítimas (maioritariamente empresas, mas também residenciais), sim, os números ainda não são definitivos e a tendência é a de aumentarem quando as pessoas regressarem ao trabalho e ligarem os computadores.

 

Este vírus, conhecido por RansomWare, é um vírus que encripta a informação total presente no computador, ou seja, não a elimina ou destrói, mas impede que os utilizadores consigam aceder a ficheiros, programas, enfim, à totalidade do computador, a menos que paguem um resgate em bitcoins.

 

As diretivas são para que as pessoas liguem o PC sem estar ligado à Internet / rede, procurem no ambiente de trabalho um ícone com as mãos dadas... Se existir este ícone, o PC está de facto corrompido, se tiveram a sorte de escapar, então sim, liguem-no normalmente à Internet e façam figas para que as atualizações automáticas ou mesmo o e-mail não o traga e contamine o PC.

 

Eu não tive sorte, e o meu PC foi contaminado... Daí o meu silêncio a partir de sexta-feira ao almoço..

Se não vos responder, já sabem... ainda estou infetada!

 

Atualização: verifiquem se têm algum ficheiro tasksche a correr no PC, se o tiverem, mesmo sem o ícone, estão contaminados.

 

Nota: Pelo que percebi, e a partir das pessoas que me rodeiam, apenas dois sistemas operativos do Windows foram afetados - O Windows 7 e o Windows XP. Espero que esteja tudo bem por esses lados...

 

ransomware.jpg

 Para mais informações sobre este ataque / vírus, consultem o SAPO Tek, aqui.

 

Mas como nem tudo são más notícias, hoje estou também neste cantinho com uma entrevista que adorei, do princípio ao fim.. E que por todo o carinho me conseguiu colocar com uma lágrima no canto do olho!! OBRIGADA!!!

One Smile a Day com.. a Marta

A minha convidada desta semana é a Marta. A Marta tem dois blogs muito marcantes nesta comunidade do Sapo: O clube de gatos do Sapo, um blog que pertence a todos os gatos do Sapo, que aqui têm um cantinho para reunir, para contar as suas aventuras do dia a dia, dar conselhos, partilhar conhecimentos e experiências, nunca esquecendo o humor tão característico que os caracteriza. E o seu blog pessoal, Marta - O meu canto, um local onde deposita as suas reflexões, o seu dia-a-dia, os acontecimentos que mais a marcaram, partilhando sempre o seu pensamento, ideias, opiniões e mesmo estados de espírito. Opiniões sempre sem filtro e que sabem tão bem ler! A autora? Uma simpatia, sempre disponível para colaborar com tudo e todos. Uma lufada de ar fresco.

 

"Quem quiser assistir a uma cena de terror, suspense, ação e comédia, não precisa de ir ao cinema!

Basta estar ao pé de mim, no momento em que eu descobrir um bichinho indesejado no meu território!

Eu até nem gosto de fazer mal aos pobres coitados, mas eles insistem em me visitar sem serem convidados, e habitar na minha casa sem pagar renda!

Tendo em conta os inúmeros crimes que já cometi, pode-se considerar que sou uma “serial killer” extremamente perigosa!

E não digo isto só em relação às vítimas, mas também para quem esteja por perto, que se assusta mais com a minha histeria do que com o resto!

  

Matadora de aranhas

Uma vez, por causa de uma aranha que estava no meu quarto, mandei um grito tão grande que, quem lá estava em casa, pensava que me tinha acontecido alguma coisa grave!

E quando fui buscar um saco à dispensa, e me deparei com uma aranha lá dentro? Peguei no saco pela ponta oposta, e sacudi a aranha. Ela, esperta, em vez de cair, começou a subir o saco. Dou uns gritos, uns saltos, mais uma sacudidela e ela cai no chão.

Ponho-lhe o pé em cima, mas ainda corre que nem louca a tentar safar-se. Sem sorte, porque volto a atacar, e esborracho-a no chão.

 Em outra ocasião, outra vez com uma aranha como protagonista, chegámos ao estacionamento e tentámos eliminá-la. Pensávamos que ela já teria caído ao chão, mas ela apenas se escondeu. Quando a bicha, que eu julgava já desaparecida, voltou a surgir no espelho retrovisor do carro, do lado do pendura (ou seja, o meu), dei um tal salto e um grito que quase provocava um acidente, em plena estrada!

  

Matadora de osgas

Tive também algumas cenas hilariantes com osgas.

Uma delas, descobri que se enroscou no corredor, por baixo da cadeira auto da minha filha. Depois do pânico inicial, resolvi-me a dar-lhe umas quantas “cadeiradas”, até que lhe separei o rabo do resto do corpo!

Nessa altura, já suava e tinha o coração a mil à hora. Mas como sou amiguinha, depois de morta, ainda a coloquei à sombra de uma planta do vizinho!

Outra vez, estava eu a tentar fazer uma boa ação, e encontro outra. Peguei no regador e fui enchê-lo com a mangueira, no quintal. A mangueira desencaixa, e salta água por todo o lado! Nisto, uma osga que por ali andava escondida sentiu-se incomodada, saiu do esconderijo, e apareceu à minha frente. 

Já devem estar a imaginar a cena! Mandei-lhe com a pouca água que tinha no regador, mas nada. Tentei pôr a mangueira a funcionar mas, com a pressão, saltava de novo. Peguei num balde que tinha lá cheio de água e despejei em cima dela. Lá consegui que saísse pelo buraco para o lado de fora.

No entanto, o raio da bicha é mais esperta que eu e, quando espreitei, já estava a subir o muro para voltar cá para dentro do quintal.

Tanto tempo demorei a tentar encaixar a mangueira (sem sucesso), que acabei por não regar as ervas e, quando fui ver, já a osga tinha desaparecido.

No dia seguinte, estou no quarto com o meu marido e vou abrir a janela. Assim que a abro apanho um susto, dou um salto, um grito, passo pelo meu marido e só paro no corredor! Estava uma outra osga, mais pequena, no parapeito da janela!

Diz o meu marido: "então e deixas a janela aberta, para ela entrar?!". Lá foi ele fechar a janela e eu, armada em valente (depois de ele me ter dito que ela parecia morta), pelo lado de fora, munida com um mata moscas, para tirar de lá o bicho e comprovar o óbito!

Mandei-a para o chão, não se mexeu. Parecia mesmo morta. Menos mal. Fui empurrando até que a mandei para o terreno do vizinho.

  

E as carochas ou escaravelhos?!

Houve uma ocasião em que um deles me visitou durante a noite. Dei-lhe umas quantas pantufadas até o matar. Não consegui dormir descansada. E de manhã, ainda me certifiquei que não tinha fugido!

Mais recentemente, deparei-me com um deles no quarto. Entrei logo em modo "pânico - bicho a bordo". Achando que uma pantufa não seria suficiente para dar cabo daquela coisa, corri em segundos ao outro lado para buscar uma bota, com sola de madeira, determinada a deixar o bicho bem "morto morrido". Enquanto isso, as gatas observavam-me e, provavelmente, pensavam o que raio estaria eu a fazer, ou se teria enlouquecido! 

Uns dias depois, desta vez na cozinha, novo bicho igual. Com os nervos, desatei a berrar que nem uma louca, e a bater com o pé em cima daquilo, qual guerreira em pleno combate!

  

Por último, não poderiam faltar as centopeias!

Sempre que me deparo com estes bichos nojentos, mutilo-os, esborracho-os, dou-lhes com a primeira coisa que tiver à mão, que seja eficaz.

Como já perceberam, as minhas armas passam muito pelo mata moscas, pantufa ou bota.

Porque não uso a vassoura? Porque acho que, no meio daquela rama, os bichos ainda me fogem, ou ficam lá escondidos, em vez de morrerem, e já não consigo estar descansada em casa.

E, quando me assusto, assusto também o resto da família, com os meus guinchos histéricos e reações hilariantes!

 

Marta, até fiquei com pena dos bichinhos que se poderão vir a cruzar contigo. Tu és uma autêntica exterminadora, qual caça fantasmas de arma sempre em punho! Obrigada por esta bela partilha.

mhdm_118.jpg

 Aproveitem o fim de semana para participar no passatempo bem docinho!

Passatempo Presentinhos da Susy

Se há trabalhos que aprecio e valorizo, são os trabalhos artesanais. Têm sempre o cunho pessoal de quem os faz e já se sabe que não há duas peças iguais. A possibilidade de os podermos personalizar ao nosso gosto, é mágico.

 

E é precisamente sobre esta magia que vos venho falar hoje: de um projeto que nasceu em Setembro de 2015 e que tem crescido a olhos vistos, Os Presentinhos da Susy.

 

A Susana, uma grande amiga minha, deu asas à sua criatividade e imaginação e colocou os seus dotes de culinária à prova: Desde compotas a bolachinhas, desde sugestões de prendas para diversas ocasiões: como lápis, pequenas lembranças de aniversário, bolinhos. Tudo feito com muito amor e dedicação e decorado de uma forma simples, mas ao mesmo tempo tão encantadora e elegante.

 

A Susana sugeriu então fazer um passatempo aqui no blog cujo único requisito obrigatório é colocar um like na sua página de facebook (se puderem partilhar para que ela consiga chegar cada vez mais longe, melhor)!

 

Vou agora adoçar-vos a visão com estas fantásticas bolachinhas que serviram de lembranças de presentes de aniversário: 

Ana montagem.png

 

Estas bolachinhas são apenas exemplos do que é possível fazer.

O vencedor pode escolher um tema que se adeque mais à ocasião em questão, e não, não pensem que é apenas para festas infantis, porque são personalizáveis, e nós, como adultos gulosos que somos, também suspiramos por estas belas iguarias. A oferta consiste então em 25 bolachas caseiras, decoradas à escolha! Podem incluir ainda etiquetas personalizadas com o nome da pessoa ou do evento em si (pode não ser um aniversário).

 

Prontos para participar? É só clicar aqui!

 

Quem não tiver facebook, a participação é válida se efetuarem a subscrição do blog Presentinhos da Susy

 

A única parte má destes sorteios?! É eu não poder participar! Garanto que se vão deliciar, pois o sabor das bolachinhas é fantástico! Termina dia 18 de Maio. Boa sorte a todos!

 

Tal como prometido, o vencedor do passatempo anterior, Herança Milenar já é conhecido:

 

vencedor (3).BMP

Parabéns Ana, vou enviar-te um e-mail. 

Pág. 1/2