Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

Chic'Ana

“Não posso mudar a direção do vento, mas posso ajustar as minhas velas para chegar sempre ao meu destino” by Jimmy Dean

112 - Número de Emergência

No passado dia 11 de Fevereiro, comemorou-se o Dia Europeu do 112. E vocês perguntam: ok, e onde está o facto relevante?

 

O facto relevante reside precisamente em que apenas 49% dos cidadãos portugueses o conhece!

 

Este número pode ser utilizado para questões relacionadas com saúde, mas também em outras situações tais como: incêndios, assaltos ou roubos. As chamadas efectuadas para o 112 são atendidas, em primeira linha, por uma Central de Emergência da PSP que apenas canaliza para os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM as chamadas que à saúde digam respeito.

A chamada é gratuita e está acessível de qualquer ponto do país a qualquer hora do dia, mas por favor, apenas a utilizem em caso de necessidade. Não percebo como é que 75% das chamadas recebidas não se adequam a este canal, é uma percentagem muito elevada!


Informe, de forma simples e clara:

  • O tipo de situação (doença, acidente, parto, etc.);
  • O número de telefone do qual está a ligar;
  • A localização exata e, sempre que possível, com indicação de pontos de referência;
  • O número, o sexo e a idade aparente das pessoas a necessitar de socorro;
  • As queixas principais e as alterações que observa;
  • A existência de qualquer situação que exija outros meios para o local, por exemplo, libertação de gases, perigo de incêndio, etc.

Desligue o telefone apenas quando o operador indicar.

Da próxima vez que ligar 112 lembre-se: As chamadas desnecessárias sobrecarregam o sistema, pondo em perigo de vida aqueles que realmente precisam de ajuda imediata. Os falsos alarmes afetam a capacidade de resposta às verdadeiras emergências.

 

Insólito: Este fim de semana presenciei um caso inédito, que me fez escrever este post. Estávamos a almoçar num restaurante, quando a dada altura um amigo meu se levanta muito aflito a dizer que tem de ir chamar um táxi. Ora, nós pensámos logo que era para alguém vir ter connosco, ou que alguém necessitava de transporte e até nos oferecemos para dar boleia caso fosse necessário. Não, ele afinal tinha recebido uma mensagem, em que a pessoa dizia que se estava a sentir mal, e que precisava de um táxi para ir para as urgências 

Chic' Ana: Então, mas ele está assim tão mal?

Amigo: Está mesmo mal, não se está a sentir bem.

Chic' Ana: Então porque não ligou para o 112, não consegue falar? Não consegue dar os dados necessários?

Amigo: Consegue sim, mas ele quer um táxi.

Chic' Ana: Faz mal, no 112 dão-lhe as instruções necessárias e só enviam o INEM caso seja fundamental. E a saúde 24?

Amigo: Acho que não é caso para tanto! Ele nem deve saber que isso existe.

 

Sou apenas eu que fico incrédula com esta falta de informação, havendo tantos canais para o efeito? Estamos na era da informação.. Mas será que sabemos aquilo que realmente importa?

 

Fonte de informação aqui.

deposito_0252.png

 Valorizem a vida real!

Uma situação insólita

Ontem foi dia dos namorados, e desta vez não tinha qualquer ideia do que oferecer ao M. Sexta-feira à tarde, estava a pensar fazer alguma coisa e ia abstraída nos meus pensamentos quando passo por uma loja toda vermelhinha e enfeitada. Porque não entrar? Pensei eu.. e lá fui..

 

No interior da loja vi-me completamente perdida no meio de tantos peluches e corações, olhava para todo o lado e nada me agradava, até que  houve uma secção que me chamou a atenção de forma particular - a parte dos doces – aquilo eram chupas em forma de corações, com açúcar, sem açúcar, rebuçados com corações, gomas de todas as formas e feitios, chocolates, às tantas já tinha uns quantos pacotes nas mãos, sem mais espaço para nada, até que vem uma senhora muito gentil ajudar-me e dar-me um cesto para eu ir colocando os produtos.

Lembrei-me que a minha mãe também não tinha comprado nada e telefonei-lhe a perguntar se queria que eu levasse alguma coisa. Depois comecei a pensar que os rebuçados eram um miminho engraçado para outras pessoas e se era dia de espalhar o amor, porque não o fazer?

 

Conclusão, cheguei à caixa e era só tirar supostas prendas do cesto. Até que a senhora começa a olhar muito para mim, e eu, com a minha grande boca e mania de fazer conversa por tudo e por nada, começo:

 

Chic’ Ana: São muitas coisas, mas não é tudo para a mesma pessoa!

Senhora: Esteja descansada que eu não julgo.

Chic’ Ana:  Não, não, não me consegui explicar. O que eu queria dizer é que não é tudo para o namorado!

Senhora:

Chic’ Ana: É para namorados diferentes .. e também para amigas (acrescentei muito rapidamente).

Senhora:  (cada vez mais indignada)

Chic’ Ana: Bom, vamos lá ver se me faço entender.. é de mim para namorado, de mim para amigas, de mãe para namorado.

Bom, deixe estar, são 16€ não é? (paguei rapidamente e ainda a ouvi a murmurar quando saí..)

Senhora: Isto é com cada uma, agora chamam-lhe amigas.. É assim que são apanhadas!

 

Saí tão rápido que fiquei à chuva no meio da rua sem qualquer reação, com um saco cheio de doces, até que comecei novamente a carburar e penso: ao menos tenho os chocolates para afogar as mágoas!

 

Bem que lhe podia dizer que o namorado se conquista pelo estômago, mas na altura não me saiu nada tal era a cara de espanto da senhora!

Zinza-pos-dia-dos-namorados-e1307988330823.jpg

 

One smile a Day.. com a Mula

Conseguem imaginar melhor forma de terminar esta semana do que uma ida a um curral? E não me refiro a um curral qualquer, mas sim ao mais famoso curral do sapo.

 

A minha convidada desta semana, já muitos de vocês devem ter adivinhado, é a Mula, autora do blog Desabafos da Mula e do blog Para Jantar & Marmitar.

 

A Mula apresenta-nos um cantinho maravilhoso, recheado de bons momentos, por vezes hilariantes, por vezes sérios, mas acima de tudo tem a habilidade de nos receber da melhor maneira. Tem rubricas constantes, como “as curtas do dia”, o “curral da má língua” e não diz que não a um bom desafio. Caracteriza-se como uma pessoa frontal, teimosa, orgulhosa, com um grande coração e de uma generosidade e paciência que apresentam limites, mas eu díria que são uns limites muito distantes. Do meu lado, apenas posso agradecer a simpatia com que aceitou o meu convite para partilhar a sua história mais hilariante. E sem mais demoras, aqui vai: 

Olá olá Ana,

Aqui está a minha história engraçada... Bem, engraçada para os outros que eu cá só me senti envergonhada...  xD

Eu adoro música e fico tão envolvida que o meu corpo ganha vida própria e fico bastante distraída, é difícil estar a ouvir música sem ter um - ou até mesmo os dois - pé e a cabeça a abanar, a dar, a dar, tipo cauda de cão... E mentalmente estou sempre a cantar, e até os lábios se mexem...eu tenho essa noção.

Certo dia, no verão estava eu no autocarro, quando sentia que as pessoas estavam a olhar para mim, mas não liguei e continuei compenetrada a ouvir a minha música. Saio do autocarro e as pessoas que passavam por mim continuavam a olhar... Até que me cai um phone...

Eu não estava a cantar mentalmente... Eu estava mesmo a cantar... Com som incluído, a parte mais parva é que provavelmente as pessoas deveriam achar que eu era maluquinha, porque eu estava a cantar bastante baixinho, e nem deveriam perceber o que eu estava para ali a praguejar...

Que vergonha!

Hoje em dia olho para trás e dá-me vontade de rir... Mas na altura nem por isso xD ahahahah

Não te sintas envergonhada, no fundo estavas apenas a dar asas á tua generosidade, querendo partilhar a música com aqueles que te rodeavam! Que mal agradecidos foram...

 

armandinho-música.jpg

 

Obrigada por esta partilha tão boa! Ainda não escolhi a próxima vítima, atenção aos e-emails, pois pode ser qualquer um!!

Ainda é Carnaval?

Ora, para aligeirar o ambiente mais sério do post de ontem (que peço para partilharem), hoje temos uma peripécia bastante engraçada.

 

Sempre que tenho uns minutos extra, em casa, gosto imenso de me aperaltar um pouquinho, nada de muito espampanante: um risco nos olhos, um pouco de blush... e hoje não foi exceção.

Tinha 4 minutos de avanço, e pensei cá para comigo: "4 minutos dá para me emperiquitar um pouco". Coloco o creme hidratante, seguido de uma espécie de bb cream para dar um tonzinho á pele, utilizo um corretor para disfarçar as múltiplas borbulhas que tenho na cara, faço o risco nos olhos e por fim vou então para o blush.

Uma pincelada aqui, outra acolá e no último instante, o pincel cai para o lavatório. Como ainda tinha um pouquinho de blush, decidi aproveitar. Sinto o pincel um pouco molhado, olho para o relógio e já estava 1 minuto atrasada. Vamos lá a sair apressadamente de casa tipo furacão!

 

Chego ao elevador do prédio, olho para o espelho e ahhhhhhhh, tenho um risco tremendo na cara.

- Um risco? - pensei eu. Tinha um risco sim, mas um risco por não ter maquilhagem.

O pincel ao cair ficou molhado, e quando o passei na cara, retirei tudo o que tinha colocado anteriormente. Parecia que tinha feito uma pintura de índia, o único senão é que o Carnaval foi há dois dias atrás.

 

Conclusão: Toca voltar para casa, a limpar a cara toda e voltar ao natural que era a melhor solução! Já sabem, não aproveitem os últimos instantes para a maquilhagem, pois pode correr mal. Os meus 4 minutos de avanço rapidamente se transformaram em 10 de atraso!!! 

 

maquilhagem.bmp

O Dia dos Namorados pode ser para todos?

Segunda-feira tive uma enorme surpresa no meu e-mail que, confesso, me deixou com uma lágrima no canto do olho. Teve de tal forma impacto e significado, que apenas consegui responder no dia seguinte. A mensagem original que me enviaram guardo apenas para mim, até para proteger o remetente, mas transcrevo na íntegra o segundo texto, uma vez que, admito, nem sequer tinha pensado neste tema.

Geralmente, quando pensamos no dia dos Namorados, pensamos em corações, em felicidade, em ofertas e alegria, mas, muitas vezes, esquecemos o outro lado da moeda. Convido todos vocês a passarem aqui neste site e a refletirem um pouco sobre este tema. 

Sou uma senhora com  alguma idade, mas vivo na nossa idade e vi no meu facebook uma ideia gira. Pediam para neste Dia dos Namorados as pessoas se lembrarem de quem ficou sozinha e ligarem. Não é o meu caso, mas tenho muitas amigas que ficaram sozinhas e vou fazer isso porque sei que elas vão gostar.

Como quero que não sejam só as minhas amigas a receberem telefonemas, pedi a alguns sites que gosto para me ajudarem. Escolhi a Chic'Ana porque é um site que costumo ver quase todos os dias, que gosto de ler e que sabia que ia dar valor, ela respondeu-me e fiquei muito contente. Espero que a Chic'Ana ajude muitas mais pessoas que estão sozinhas.

Obrigado Ana, da A. e das amigas C. e M.

É impossível compreender como será a dor de perder o companheiro de uma vida. A própria mente humana deve demorar algum tempo a assimilar tal acontecimento, pois há tantos gestos que são mecânicos, automáticos: o simples facto de colocar mais um prato na mesa, o imaginar e sentir a voz e a presença da outra pessoa pela casa, o recordar dos passeios de mão dada, as advertências, o saber o que o outro estaria a pensar sobre determinado assunto, os sorrisos trocados e partilhados, o saber que ele / ela estaria sempre presente. E de um momento para o outro, o nosso mundo é abalado, esta presença assídua deixa de existir e, muitas vezes, os familiares e amigos fazem de tudo para ajudar, mas não conseguem, tem de ser um curativo interior, tem de partir da própria pessoa, há que dar tempo ao luto.

 

A fase mais difícil não é no inicio, embora se possa pensar que tal acontece. A fase mais difícil é quando a vida de todos os outros regressa ao normal, mas a vida do viúvo nunca mais será a mesma, e é nestes momentos que eles mais precisam de ajuda. Esta ajuda tem de ser contínua, um acompanhamento permanente para que voltem a encontrar a alegria de viver, uma razão para a sua existência, no fundo, temos de os ajudar a valorizar a própria vida, que pode ser tão frágil.

 

Segundo a informação, em Portugal existem mais de 770 000 pessoas viúvas. E o desafio proposto é fazermos a diferença.

 

Como é que podemos fazer esta diferença? Não é ignorando o dia dos Namorados, pois ele vai sempre existir e estar presente, quer seja na televisão, quer seja espalhado pelas montras e ruas, quer seja pelo índice elevado de carinho e amor partilhado neste dia. Portanto, mesmo que não se queira, somos confrontados com este momento.

O que eu sugiro é alargarmos o amor a todos os outros, principalmente às pessoas com mais necessidade deste sentimento. Podemos ter o nosso momento especial com o namorado, claro está, mas também podemos e devemos dar atenção ao mundo que nos rodeia. Basta um simples gesto de carinho: pode ser um postal, como bem sugerido na publicação, pode ser uma simples flor, pode ser somente uma conversa, um pouquinho do nosso tempo… Há inúmeras formas de provar que os outros são importantes, que eles próprios são uma peça fundamental neste mundo.

 

Que dizem, vamos fazer a diferença? Afinal o amor é para TODOS!

 

Obrigada A., por me fazeres acima de tudo refletir, por me fazeres sair da minha “concha protetora” e valorizar ainda mais aqueles que me rodeiam. Espero que o texto vá ao encontro das expetativas. Não é mais do que a minha opinião pessoal, sem filtros, e com muita emoção. Terminei este texto com o olhar marejado, pois sei que todos podemos passar por uma perda semelhante e o que é facto, é que essa perda não se esquece, nem tem substituto, é um bocadinho de nós que se perde também.

fdb9b2b389c0e1c91330df0a7905c56b.jpg

 

Se quiserem ver algum tema abordado aqui no blog, enviem a vossa sugestão por e-mail: chicana@sapo.pt, adorei este desafio proposto! Um tema muito sensível e tocante.

Curiosidades sobre o Carnaval

Antes de mais aproveito para desejar um excelente dia de Carnaval, quer estejam a trabalhar ou a desfilar, que a alegria marque este dia.

 

Curiosidades sobre o Carnaval:

  • Surgiu na Grécia cerca de 600 a 520 anos a.C e estas comemorações seriam uma forma de agradecimento aos deuses pelas boas colheitas e prosperidade.
  • Calendário Cristão - Somente em 590 d.C esta data passou a constar no calendário cristão, conhecida como a terça-feira gorda. Os festejos antecedem a quaresma (40 dias antes da Páscoa), que consiste num período de privação e reflexão.
  • As maiores características do Carnaval são a alegria, as máscaras e a folia. Tudo para compensar os 40 dias de privação até a semana santa.
  • O Carnaval do Rio de Janeiro é considerado o maior do mundo.
  • O Carnaval é um dia móvel, sendo calculado de acordo com a data da Páscoa.

 

E sem mais demoras, qual a máscara que mais vos marcou?

Eu sempre tive máscaras muito engraçadas, que fugiam das tradicionais fadas e princesas. Foi muito difícil escolher aquela que vos queria mostrar, ficou taco a taco com o Robin dos Bosques, mas cá vai:

IMG_20160208_182251.jpg

 

Vão mascarar-se este ano?

Brincadeiras de Carnaval (de mau gosto)

Ahh Carnaval! Época de folia, de animação, e... trabalho! Pois é, a Ana está a trabalhar! 

 

Infelizmente, parece que o tempo não vai ajudar, a previsão de chuva e de temperaturas baixas mantém-se, o que é uma pena, para quem trabalhou meses e meses para proporcionar aos habitantes e visitantes um bonito espétaculo. Mas, diga-se de passagem, que é o normal para esta altura do ano, afinal estamos em Fevereiro.

 

Para não ficarem tristes por não terem o dia de amanhã de folga, como eu, desafio-vos a contarem a vossa pior experiência no dia de Carnaval. Para quem vai festejar, por favor, ignore o post e bola prá frente!! Vão assistir aos desfiles maravilhosos que percorrem o país de Norte a Sul, e ilhas, como é óbvio 

 

A minha pior história mistura ovos e farinha. Em criança é normal levarmos com uns quantos balões de água, com uns tiros de bisnaga, faz parte da infância e mesmo do nosso crescimento, agora, o que eu não esperava, era estar num belo dia de trabalho e ser bombardeada com farinha e ovos. Portanto, não bastava o facto de estar a trabalhar, quando à saída do metro, de uns prédios que existem mesmo em frente começam a cair ovos e farinha! Era ver as pessoas a correr rapidamente em busca de abrigo, a saltitarem passeio fora por entre a sujidade e os carros cá em baixo completamente imundos. Há brincadeiras e brincadeiras, e esta para mim não teve qualquer piada, até porque um ovo a cair no vidro de um carro, assusta as pessoas, diminui a visibilidade e pode causar um acidente. Brincar sim, mas sem exageros!

 

tumblr_njol114pip1u1iysqo1_1280.png

 

 

Amanhã, e para assinalar o dia de Carnaval, conto desvendar-vos um fato que muito me marcou!

One smile a Day.. com a Sofia

Para a rubrica desta semana, tenho o prazer de convidar e de vos apresentar a Sofia.

 

A Sofia é a autora do blog Músicas que fazem vibrar a alma e colabora também com o blog Clube de Gatos do Sapo. Posso dizer que ela é uma pessoa muito simpática, enérgica e também tem tendência para viver situações caricatas, por isso mesmo, partilhamos muitas histórias e entre nós o sorriso é uma constante. A Sofia adora animais e tem dois gatinhos: A Fénix (a primeira inquilina) e o Puma (o membro mais novo na sua casinha).  No local de trabalho tem o peixinho Faneca que é mimado por toda a gente. Desafio-vos a conhecerem também a Sofia, vão ver que vale a pena!  

Olá, Ana conheces a história do “Ena pá tanta mosca”

 

? Não?! Curiosa? Eu conto.

Ora, andava eu no 5ª ano quando na aula de Ciências da natureza, que por sinal era a minha disciplina favorita, a matéria que se estava a dar era nem mais, nem menos que a reprodução humana! Todos se devem lembrar, como eram estas aulas, risinhos para ali e para acolá. Certo dia, a professora resolveu ter uma aula diferente e mostrar um filme sobre a reprodução, não de animação mas real, até vimos o parto de um bebé a nascer!

Mas vamos ao que interessa, a situação caricata e hilariante que jamais esquecerei foi: estávamos todos caladinhos, de vez em quando um risinho tímido e num momento o vídeo mostra a fecundação do óvulo pelos espermatozóides, nesse exato momento a sala parecia um túmulo, quando de repente uma colega minha, a Rita, vira-se e diz: “Ena pá tanta mosca!” resultado, escangalhou-se tudo a rir, eu fui às lágrimas e garanto-vos que não fui a única, até a professora que nunca se ria nas aulas, estava sempre séria, não se conseguiu conter!

A mais alguém aconteceu isto nas aulas de Ciências?

Espero que tenham gostado.

 

Realmente bem me lembro destas aulas, eram um mistério para todos nós. O que é que iria sair dali? Analisando a imagem abaixo, percebo perfeitamente o Ena Pá tanta mosca!!

Muito obrigada por esta partilha!

 

TIRA 56.jpg

E tão boa que é a mensagem associada à imagem, tão realista!

A minha próxima vítima já foi desafiada e aceitou no imediato. Curiosos?

As Gafes num jogo

Eu adoro jogar Trivial Pursuit, é um dos meus jogos favoritos, por causa de toda a competição associada. Mas esta noite correu-me pessimamente, não estava nos meus dias.

 

C: Qual a cidade mais alta de Portugal?

Chic' Ana: (muito rapidamente) Serra da Estrela!!!

C: Ana... cidade....

Chic' Ana:  Bolas, é a Guarda, não acredito que não vão contar! 

 

E o jogo seguiu o seu curso normal, comigo a ficar chateada, pois tenho muito mau perder.

 

M: Quais são os peixes que se alimentam maioritariamente de seres bivalves, podendo o óleo ser encontrado no seu organismo?

Chic' Ana: As piranhas!

Coro: As piranhas? (E fazem uma cara muito esquisita)

Chic' Ana: Sim, as piranhas! Vocês nunca foram à marina de Vilamoura? Há imensas piranhas, precisamente por causa do óleo dos barcos. Eu até levava pão de vez em quando para as alimentar e elas adoravam. Essa não dou de barato, tenho a certeza absoluta que são as piranhas! Até tenho fotos, depois mostro.

 

E isto ficou assim, eles lá aceitaram a resposta, muito contrariados, pois eu estava mesmo a ser convincente.

 

Passado umas horas começo a pensar.."Piranhas, isto realmente não me soa bem..AHHHH, não são piranhas, são tainhas" Começo a corar, tal foi a gafe que cometi... e a rir-me que nem uma perdida. Afinal, agora haviam piranhas a nadar descontraidamente na marina de Vilamoura! E ainda por cima alimentava-as com pão! Só se fosse pão com um recheio fora do normal! 

 

Mas o mais estranho de tudo, foi: Como é que eles aceitaram tal resposta e não me corrigiram???

jogo.bmp

 (esta sou eu, a arranjar desculpas para um brilhante segundo lugar)

 

Um objeto perdido na Piscina

Uma das coisas que mais gosto na piscina é de chegar um pouco antes da hora, subir e observar as aulas que estão a decorrer. Sempre achei a água fascinante e tudo o que se relaciona com ela..

Ultimamente este fascínio tem-me trazido episódios mesmo muito engraçados, quem se lembra do tão famoso episódio dos calções (pode ser lido aqui)? Pois bem, preparem-se porque ontem assisti a um episódio hilariante.

 

Estava eu no meu poiso a observar a aula, (até porque muitas vezes os exercícios da aula anterior são os que fazemos na aula seguinte, portanto, gosto sempre de me preparar psicologicamente), quando vejo dois senhores a nadar costas. Ora, quem não assistiu a imensas cacetadas assim? As pessoas não controlam a trajectória, invadem o sentido contrário e pumba. Ontem não foi exceção, o senhor ao dar a braçada acerta em cheio na cabeça do outro e a parte cómica começa agora..

 

O senhor "agredido" muito aflito, começa a mergulhar e a vir ao de cima, procura em redor, mergulha e vem novamente ao de cima. Mas sem nunca mergulhar por completo, ás tantas já tinha imensos mirones a tentar perceber o que ele estava a fazer. E o ritual continuava, mergulhava e vinha ao de cima, até que finalmente surge com um objeto na mão que coloca rapidamente na boca! 

Conclusão, o senhor com a força da pancada, perdeu a dentadura no meio da piscina!! E depois andava numa aflição enorme para a recuperar..

 

Tirinha-do-mar.jpg